Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANALISE COMPARATIVA DOS RESULTADOS CIRURGICOS, ONCOLOGICOS E FUNCIONAIS DA PROSTATECTOMIA RADICAL LAPAROSCOPICA VERSUS A ABERTA

Resumo

Introdução: O câncer de próstata é uma doença muito prevalente entre os homens, tendo como um dos principais tratamentos a prostatectomia radical (PTR). Dentre as técnicas minimamente invasivas para esta cirurgia, a videolaparoscópica (VLP) se mostra uma opção de menor custo e mais acessível em nosso meio.
Objetivo: Comparar os resultados cirúrgicos, oncológicos e funcionais da PTR aberta versus VLP
Métodos: Avaliamos retrospectivamente 505 pacientes submetidos à PTR entre 2013 e 2017 no Hospital Brigadeiro, sendo 389 submetidos à PTR aberta (grupo 1) e 116 à VLP (grupo 2). Os dados dos pacientes foram obtidos através dos prontuários. Para a análise funcional, os pacientes foram convocados, sendo submetidos à questionários (EPIC – domínio urinário/sexual, IEFF-5 e SF-36) e à fluxometria. Realizamos subanálise dos resultados de acordo com os grupos de risco (GR) de D'Amico.
Resultados: A média de idade no grupo 1 foi de 63,7 versus 61,9 no grupo 2 (p=0,006); Classificação de ASA, PSA inicial, Gleason, tamanho da próstata e classificação de risco foram menores no grupo 2 (p<0,001). Observamos tempo cirúrgico maior no grupo 2 em todos os GR (p<0,001); taxa de sangramento e queda de hemoglobina foi maior no grupo 1 para GR baixo e intermediário (p<0,05); Tempo de internação foi menor no grupo 1 (1,0 x 2,0, p<0,001), mantendo significância estatística após a subanálise de GR apenas no risco intermediário (p<0,001); Margens cirúrgicas comprometidas não mostraram diferença entre os grupos (34,1%x40,4, p=0,062); Não houve diferença nas taxas de recidiva bioquímica (19,2% x 12%, p=0,11); Houve diferença a favor do grupo 2 na sobrevida livre de doença (78,1%x89,1%, p=0,04), mas que não se manteve após a subanálise de GR. Em relação à análise funcional, EPIC-domínio sexual (30,9 x 27,5, p=0,8), EPIC-domínio urinário (91,5 x 90,5, p=0,7) e SF-36 (124,1 x 123,9, p=0,9), não mostraram diferença. IEFF-5 também não mostrou diferença dentro de suas classificações de disfunção. O fluxo urinário foi maior no grupo 2 (15 x 19, p=0,032), mas a diferença não se manteve após subanálise de GR.
Conclusão: A PRR VLP apresenta maior tempo cirúrgico e menor sangramento quando comparada com a técnica aberta. Não observamos diferença nos resultados oncológicos e funcionais quando comparadas as duas técnicas.

Palavras Chave ( separado por ; )

Neoplasias da próstata; Prostatectomia; Cirurgia laparoscópica

Área

Uro-oncologia

Instituições

Hospital Brigadeiro (Hospital de Transplantes Dr. Euryclides de Jesus Zerbini) - Sao Paulo - Brasil

Autores

Felipe Guimarães Pugliesi, Cauê Brunelli Dezotti, Gabriel Brandão Dantas Cruz, Bruno Pereira Reciputti, José Pontes Jr, Renato S Vasconcelos, Eugênio Rodrigues Caetano Borges, Vitor Lazarini, Cláudio Bovolenta Murta, Joaquim Francisco de Almeida Claro