Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

AVALIAÇAO DE HEMOTRANSFUSOES EM 688 PACIENTES SUBMETIDOS A PROSTATECTOMIA RADICAL EM HOSPITAL UNIVERSITARIO COM MUDANÇA DE PROTOCOLO PELO BANCO DE SANGUE

Resumo

INTRODUÇÃO
A prostatectomia radical (PR) foi o primeiro tratamento padrão amplamente utilizado para o câncer de próstata localizado. Posteriormente novas técnicas e abordagens foram sendo desenvolvidas, como a PR perineal, laparoscópica e robótica. Inicialmente eram consideradas cirurgias com grande potencial de sangramento, sendo necessária transfusão em até 69% dos casos, atualmente em grandes centros, essa taxa não chega a 10%.
OBJETIVO
Avaliar o índice de paciente transfundido por cirurgia (IPT) nos procedimentos de prostatectomia radical no Hospital Universitário Pedro Ernesto - RJ (HUPE).
IPT = Nº de pacientes transfundidos x 100
Nº de cirurgias eletivas
MÉTODO
Foram incluídas no estudo um total de 688 casos de prostatectomias radicais, dos quais 59 videolaparoscópicas (curva de aprendizado do assistente), 11 perineais e 618 abertas (curva de aprendizado do residente), realizadas entre setembro de 2013 e agosto de 2018. Idade média 58,3 anos (38 à 78 anos). Avaliada realização de hemotransfusão no intra operatório e nas primeiras 24 horas.
RESULTADOS
O tempo cirúrgico médio foi de 187 minutos (65 à 495 minutos), sendo PR aberta 180,4 minutos, PR vídeolaparoscópica 267,7 minutos e PR perineal 152 minutos. 72 pacientes receberam transfusão de concentrados de hemácias, sendo 64 (IPT = 9,3%) submetido à PR aberta, 8 (IPT = 1,16%) PR videolaparoscópica e nenhuma na PR perineal. Totalizando 10,46% de hemotransfusão em todas as modalidades de PR. Este trabalho serviu como modelo para o Banco de Sangue da nossa instituição cessar a exigencia de reserva de sangue para as cirurgias de prostatectomia radical, necessitando apenas de realizar a tipagem e aviso da cirurgia no banco de sangue.
CONCLUSÃO
Com aperfeiçoamento das técnicas, perícia e prática cirúrgica em serviços com grande volume, observamos melhores resultados quanto a necessidade de hemotransfusões. O IPT, índice utilizado em diversos protocolos transfusionais, entre 1 e 10% nos comprova uma baixa probabilidade de transfusão, confiando a recomendação apenas da triagem do receptor para os testes de Tipagem ABO e Rh(D) e a PAI (Pesquisa de anticorpos irregulares), otimizando assim o trabalho realizado pela Agência Transfusional, o uso de materiais e reagentes bem como o estoque de sangue.

Palavras Chave ( separado por ; )

Prostatectomia radical; Hemotransfusão; Câncer de próstata

Área

Uro-oncologia

Instituições

Hospital Universitário Pedro Ernesto - Rio de Janeiro - Brasil

Autores

Thales Mendes Miranda, Caio Henrique Lucio Carrasco, Juan Pablo Suarez Barberan, Raphaela de Almeira Gazzoli, Marina Ramires Alonso, Fabricio Borges Carrerette, Ronaldo Damião