Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

REPRESENTATIVIDADE DA CAMADA MUSCULAR POS RESSECÇAO TRANSURETRAL DE BEXIGA EM PACIENTES COM CARCINOMA UROTELIAL DE BEXIGA EM CENTRO ACADEMICO TERCIARIO DE RECIFE/PE

Resumo

INTRODUÇÃO
O câncer de bexiga é uma entidade heterogênea que inclui vários subestadiamentos(1). Determinar acometimento da camada muscular própria da bexiga é um dos pilares do manejo do carcinoma urotelial uma vez que se acometida o prognóstico é pior (2). Publicações têm ressaltado a importância da qualidade da ressecção realizada no primeiro momento para o correto estadiamento(4). A presença da camada muscular no espécime de ressecção de tumoração vesical é importante marcador de qualidade do procedimento (4).
OBJETIVO
Avaliar a presença da camada muscular própria nos espécimes de ressecção transuretral de bexiga em um centro acadêmico terciário em Recife/PE.
MATERIAL E MÉTODO
Analisados retrospectivamente os anatomopatológicos de 45 pacientes submetidos à RTU de bexiga no serviço de urologia no período entre de janeiro de 2018 e fevereiro de 2019. As cirurgias foram realizadas pelo residente sob supervisão de um urologista do serviço. Espécimes cirúrgicos foram encaminhados para patologia em separado e identificados como camada mucosa e muscular da bexiga.
RESULTADOS
Dos 45 pacientes submetidos a RTU de bexiga, 4 foram excluídos devido a perda de seguimento.. O carcinoma urotelial foi observado em 34 (72,34%) dos casos, ausência de neoplasia em 7 (14,89%) pacientes , o adenocarcinoma de próstata invasivo em 1 (2,12%) e adenocarcinoma intestinal metastático em 1 (2,12%) dos casos. A camada muscular não foi representada em 8 (23,52%) casos, 18 (52,94%) dos pacientes estavam com a camada muscular livre de neoplasia e em 8 (23,52%) dos casos a camada muscular estava comprometida
DISCUSSÃO
Estudos na literatura traz revisão de patologia com resultados nos quais a camada muscular própria é perdida em 51% das Ressecções transuretrais (RTUs) [6]. Muitas dessas eram de tumores papilares de baixo grau e, por isso, a ausência de muscular pode ser justificada. Mas, em 26% dos casos de tumores invasivos amostra muscular não foi identificada; (7). O nosso resultado, apesar de casuística limitada, tem achados que pouco destoam da literatura; E deve-se ainda ser levado em consideração que amostra representa curva de aprendizado de médico residente em serviço de treinamento terciário de referência.
CONCLUSÃO
A camada muscular representada numa ressecção endoscópica de bexiga é necessária para um estadiamento adequado da neoplasia vesical. Sua ausência pode comprometer adequado estadiamento e terapêutica e desfechos.

Palavras Chave ( separado por ; )

neoplasia de bexiga urinária; Ressecção transuretral de bexiga ; Amostra muscular neoplasia de bexiga

Área

Uro-oncologia

Instituições

Intstituto de Medicina Integral Professor Fernado Figueira (IMIP), - Pernambuco - Brasil

Autores

Márcio Andrade Silva Freire, Sérgio Luís da Silva Calisto, Françualdo Ribeiro de Sá Barreto, Clóvis Fraga T P, Serafico Pereira Cabral Jr, Rodrigo Luciano Ramos da Silva, Thalita Dutra e Silva, Levi Cezar de Castro Figueiredo