Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

DADOS EPIDEMIOLOGICOS DA URETEROLITOTRIPSIA EM UM HOSPITAL ESCOLA NO INTERIOR DO RIO GRANDE DO SUL

Resumo

Introdução: A litíase do trato urinário é uma causa frequente de consultas em emergências. Consiste na presença de cálculos no sistema urinário. O tratamento cirúrgico, quando necessário, é recomendado. A ureterolitotripsia por via endoscópica é o padrão ouro, por ser menos invasiva e com menor potencial de complicações.
Objetivos: O trabalho buscou analisar os dados epidemiológicos das cirurgias de ureterolitotripsia endoscópica em um hospital de ensino.
Metodologia: Foi realizado um estudo transversal e retrospectivo, analisando os prontuários de 378 cirurgias endoscópica no período de janeiro de 2016 até abril de 2019. As informações foram analisados e tabeladas em planilhas do Excel e do SPSS (v25), tendo IC de 95%.
Resultados: Dos 378 pacientes submetidos à ureterolitotripsia, 256 eram homens (67,73%) e 122 eram mulheres (32,27%). A idade média dos pacientes foi de 48 anos. O lado direito foi acometido em 69,79%. Em 60,1% dos pacientes apresentavam o cálculo no ureter terminal, 22,34% no ureter superior, sendo que destes, 14,12% estavam na junção uretero-pélvica (JUP) e em 17,56% se encontravam no ureter médio. Na maioria das cirurgias utilizou-se o ureteroscópio rígido (99,2%). Em 85,71% dos casos utilizou-se o catéter duplo J. A média do tamanho foi de 0,84cm no ureter superior, 0,784cm no ureter médio e 0,67cm no ureter terminal. Em 62,2% dos pacientes utilizou-se o laser para a fragmentação do cálculo.
Conclusão: A maioria dos cálculos ocorreu em homens. O uso do ureteroscópio semi-rígido predominou em relação ao flexível. Mesmo com possibilidade do cálculo em ureter superior migrar para a pelve e cálices durante o procedimento, apenas 2,1% dos casos houve a necessidade do uso do ureteroscópio flexível. O laser foi utilizado na maioria dos casos, em torno de 62,2%, uma vez que, a menor média quanto ao tamanho dos cálculos ficou em torno de 0,67cm no ureter inferior, portanto cálculo de até 0,67cm é passível de eliminação espontânea. Para prevenir complicação devido ao edema do ureter, utilizou-se em 85% o cateter duplo J, reduzindo assim as complicações obstrutivas no pós-operatórias. Pode-se constatar que o perfil epidemiológico deste grupo de pacientes confere com a literatura. São procedimentos minimamente invasivos, com baixo índice de complicações e alto grau de resolução. Importante ressaltar que quanto maior a curva de aprendizado, melhores serão os resultados.

Palavras Chave ( separado por ; )

ureterolitotripsia; epidemiologia

Área

Litíase / Endourologia

Instituições

UFCSPA - Rio Grande do Sul - Brasil, UNISC - Rio Grande do Sul - Brasil

Autores

Isabela Terra Raupp, Morgana Pizzolatti Marins, Henrique Py Laste, Sandro Eduardo Laste, Paulo Roberto Laste