Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

CRITERIOS PARA USO DO CATETER DUPLO J EM URETEROLITOTRIPSIAS.

Resumo

Introdução: O cateter duplo-J auxilia o fluxo urinário em obstrução ou em lesões ureterais e também na prevenção de complicações associadas a procedimentos endourológicos. Entretanto, a ocorrência de irritação da bexiga, perfuração ureteral, incontinência urinária, dentre outras patologias associadas ao seu uso o tornam controverso.
Objetivo: Critérios para uso do cateter duplo J em cirurgias ureterais.
Metodologia: Foi realizado um estudo retrospectivo de caráter transversal em 378 prontuários de pacientes com litíase que realizaram tratamento cirúrgico no período de janeiro de 2016 até abril de 2019. A amostra foi dividida em dois grupos: os que utilizaram cateter duplo-J (Grupo 1) totalizando 87,03% da amostra e os que não utilizaram (Grupo 2) em 12,96%. As informações foram analisados e tabeladas em planilhas do Excel e do SPSS (v25), tendo IC de 95%.
Resultados: A média de idade foi de 46,8 anos no grupo 1 e 34,8 anos no grupo 2, sendo a maioria homens. O tamanho médio dos cálculos foi 0,77cm no grupo 1 e 0,63cm no grupo 2. A maior parte dos cálculos estavam no ureter inferior (54,58% no grupo 1 e 80% no grupo 2), seguida do ureter superior (23,94% no grupo 1 e 10% no grupo 2) e ureter médio (21,48% no grupo 1 e 10% no grupo 2). Nos dois grupos, a maioria estava no lado direito. A média de densidade do cálculo foi de 783,70HU no grupo 1 e 747,5 no grupo 2. O tempo médio de cirurgia no grupo 1 foi 39,98 minutos e no grupo 2, 22,5 minutos. O tempo mínimo de utilização do cateter foi de 1 dia e o máximo, 46 dias, média de 10,68 dias.
Conclusões: A necessidade de utilização do cateter duplo-J mostrou-se diretamente proporcional à idade, ao tamanho e à densidade do cálculo. Quanto maior o cálculo e a densidade, maior o tempo de cirurgia, maior manipulação e consequentemente maior risco de complicações como a obstrução ureteral. Todos os pacientes analisados tiveram alta em menos de 24 horas e tiveram seus cálculos retirados em uma única sessão. A permanência do duplo-J por 10,68 dias, em média, não apresentou complicações, mostrando-se segura. Em nenhum caso houve necessidade de repassar o cateter duplo J após retirada do mesmo. Casos sintomáticos foram manuseados clinicamente, Complicações como perfurações, avulsões, conversão cirúrgica não foram observados, o que pode ser diretamente relacionado à experiência do cirurgião e à curva de aprendizado. O tempo de cirurgia mostrou ser 1,7 vezes maior quando o uso do cateter foi utilizado.

Palavras Chave ( separado por ; )

duplo J; ureterolitíase

Área

Litíase / Endourologia

Instituições

UFCSPA - Rio Grande do Sul - Brasil, UNISC - Rio Grande do Sul - Brasil

Autores

Morgana Pizzolatti Marins, Isabela Terra Raupp, Henrique PY Laste, Sandro Eduardo Laste, Paulo Roberto Laste