Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

COMPARAÇAO DOS RESULTADOS DE FERTILIZAÇAO IN VITRO EM PACIENTES COM CRIPTOZOOSPERMIA UTILIZANDO ESPERMATOZOIDES TESTICULAR E ESPERMATOZOIDES EJACULADO.

Resumo

INTRODUÇÃO: Criptozoospermia é definida como a presença de espermatozóides no ejaculado encontrados durante análise microscópica extensa após processamento seminal de amostra inicialmente azoospérmica. As técnicas de reprodução assistida já estão bem estabelecidas e fornecem possibilidade de tratamento a esses homens com alteração seminal e que desejam gerar filhos. A utilização do espermatozóide ejaculado para fertilização in-vitro com injeção intracitoplasmática (FIV/ICSI) tem resultados bem definidos em relação a taxa de gravidez e nascidos vivos, porém alguns trabalhos sugerem a utilização de espermatozóides provenientes do testículo identificando possíveis fatores tóxicos em determinadas situações que podem elevar níveis de estresse oxidativo e piorar a função espermática e consequentemente os resultados de FIV/ICSI nesses casos.
OBJETIVO: Avaliar a influência origem dos espermatozoides em pacientes criptozoospérmicos nos resultados de FIV/ICSI.
MÉTODO: Foram analisados retrospectivamente os resultados dos ciclos de FIV/ICSI realizados no Instituto Ideia Fértil entre os anos de 2015 e 2017 em casais nos quais o homem apresentava diagnóstico de criptozoospermia. Foram divididos em dois grupos de comparação separados pela origem dos espermatozoides utilizados, no grupo 1 os ciclos realizados com coleta de através de ejaculado a fresco e no grupo 2 os ciclos realizados com extração cirúrgica de espermatozoides do testículo . As técnicas cirúrgicas empregadas foram a biopsia testicular por punção aspirativa (TESA) e/ou a biopsia testicular aberta randomizada (TESE).
RESULTADOS: Foram identificados 223 ciclos de FIV preenchendo os critérios de inclusão. A taxa geral de gestação foi de 23,3% e a taxa de nascidos vivos foi de 21,1%. No grupo 1 foram incluídos 159 ciclos com taxa de gestação de 25,8% e taxa de nascidos vivos de 23,2%. No grupo 2, 58 pacientes foram submetidos a recuperação cirúrgica de espermatozoide, 14 ciclos foram excluídos do Grupo 2 pois não foram recuperados espermatozoides. Dos 44 casos incluídos, a taxa de gestação foi 20,45% e taxa de nascidos vivos foi 18,2%. Não houve diferença estatística entre os grupos quanto à taxa de gestação (p 0,27) ou quanto à taxa de nascidos vivos (p 0,26).
CONCLUSÃO: A origem espermática por ejaculado a fresco ou extração cirúrgica testicular para realização de ciclos de FIV/ICSI em pacientes criptozoospérmicos não influenciou as taxas de gestação e de nascidos vivos no presente estudo.

Palavras Chave ( separado por ; )

criptozoospermia; espermatozóide ejaculado; espermatozóide testicular ; infertilidade masculina; fertilização in vitro

Área

Infertilidade

Instituições

INSTITUTO IDEIA FÉRTIL DE SAUDE REPRODUTIVA - Sao Paulo - Brasil, UROABC - Sao Paulo - Brasil

Autores

MARCELLO MACHADO GAVA, JORGE VINICIUS SILVEIRA MENDES, MILTON GHIRELI FILHO, FREDERICO TIMOTEO SILVA CUNHA, CAMILA NOGUEIRA, LEONARDO SELIGRA LOPES, LEONARDO MONTEIRO, CAIO PARENTE BARBOSA, ROBERTO VAZ JULIANO, SIDNEY GLINA