Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

DISTANCIA PELE-CALCULO MENSURADA POR ULTRASSONOGRAFIA COMO PREDITOR DE RESULTADO DE NEFROLITOTRIPSIA EXTRACORPOREA

Resumo

Introdução: A litíase renal é uma doença de elevada prevalência. Entre os tratamentos intervencionistas disponíveis destaca-se a nefrolitotripsia extracorpórea por ondas de choque (LECO). Além do tamanho do cálculo, vários fatores já foram estudados que interferem na fragmentação, entre eles destaca-se a distância pele-cálculo (DPC). Embora a DPC possa ser um preditor de sucesso da LECO é necessário para sua mensuração a realização de uma tomografia computadorizada de abdome, o qual é um exame de elevado custo, nem sempre disponível e que expõe o paciente à radiação.
Objetivo: Avaliar a utilização da ultrassonografia (USG) para mensurar a DPC como preditor de resultado de LECO.
Método: Realizado estudo prospectivo transversal, no período entre janeiro de 2016 e junho de 2018, o qual avaliou 1082 procedimentos consecutivos de LECO, indicados e realizados por um único urologista. Os cálculos renais foram diagnosticados através de USG realizada por um único ultrassonografista e localizados durante a LECO através de USG realizada por um único outro ultrassonografista, o qual se dedica exclusivamente a localização de cálculos para LECO. Todos procedimentos foram realizados sob sedação com anestesista. Além da DPC (em cm), as outras variáveis avaliadas foram: sexo; idade (anos); localização do cálculo (grupo calicial superior, médio ou inferior); tamanho do cálculo (cm) e índice de massa corpórea (Kg/m2). Os pacientes foram submetidos a USG de controle, pelo mesmo ultrassonografista que realizou o diagnóstico do cálculo renal, entre 20 e 90 dias pós LECO e foi considerado sucesso a fragmentação completa ou parcial com fragmentos menores que 0,5 cm. Na maioria dos casos de insucesso, após a primeira LECO, foi realizado um único procedimento de reaplicação. Após excluir do estudo procedimentos nos quais os pacientes não realizaram USG de controle e excluir da análise a primeira LECO, naqueles pacientes que foi necessária reaplicação, a análise estatística do foi realizada em 833 procedimentos.
Resultados: A taxa de sucesso da LECO foi de 78%. Em análise univariada e multivariada somente o tamanho e localização do cálculo foram preditores de sucesso da LECO (p <0,0001 e p= 0,0016, respectivamente). Assim como as outras variáveis analisadas, a DPC mensurada por USG não foi um preditor de sucesso da LECO (p = 0,18).
Conclusão: A DPC, avaliada por USG não é um preditor de resultado da LECO em análise univariada e multivariada.

Palavras Chave ( separado por ; )

distância pele-calculo; ultrassonografia; nefrolitíase; litotripsia extracorpórea

Área

Litíase / Endourologia

Instituições

Pontifícia Universidade Católica do Paraná - Campus Londrina - Parana - Brasil

Autores

Emerson Pereira Gregório, Andre Jose Yabar Alfaro, Ulmar Dias Júnior