Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

INTERPRETAÇAO DA ANALISE SEMINAL EM UMA CLINICA DE REPRODUÇAO HUMANA EM CURITIBA UTILIZANDO OS CRITERIOS DA OMS 1999 E OMS 2010

Resumo

INTRODUÇÃO: Aproximadamente um em cada seis casais não é capaz de constituir prole sem alguma forma de assistência terapêutica. O espermograma é o principal exame para a avaliação da fertilidade masculina. O diagnóstico de infertilidade é definido pelos critérios, recentemente redefinidos, da 5ª edição do manual da OMS (Organização Mundial de Saúde) de 2010. A razão para a redefinição dos valores de referência propostos em 1999, na 4ª edição do manual, surgiu devido à falta de consenso sobre esses valores na prática médica. O estudo aqui proposto visa analisar espermogramas de indivíduos que procuraram uma clínica de reprodução humana em Curitiba (PR), classificá-los e compará-los de acordo com os critérios da OMS 1999 e OMS 2010.
OBJETIVOS: Avaliar a porcentagem de pacientes que alteram a classificação de anormais para normais de acordo com os critérios da OMS 1999 e OMS 2010.
MÉTODOS: Foram coletados 173 espermogramas de homens maiores de 18 anos, dos anos de 2009 a 2019. Os exames foram obtidos em uma clínica de reprodução humana em Curitiba (PR). Espermogramas de homens vasectomizados ou que não eram passíveis de análise, foram excluídos da amostra. A análise dos exames ocorreu por meio de quatro critérios da OMS 1999 e OMS 2010: volume, concentração, motilidade e morfologia.
RESULTADOS: De 173 espermogramas, 49 foram considerados normais e 121 foram considerados anormais de acordo com os critérios da OMS 1999. Desses considerados anormais pelos critérios de 1999, 28 (23%) pacientes alteraram a classificação para normal de acordo com os critérios da OMS 2010. A alteração de volume foi responsável em 5 pacientes (17,85%); concentração em 5 pacientes (17,85%); motilidade em 10 pacientes (35,71%); morfologia em 2 pacientes (10,71%); volume e concentração em 3 pacientes (10,71%); motilidade e morfologia em 1 paciente (3,57%); concentração, motilidade e morfologia em 1 paciente (3,57%); todos os critérios em 1 paciente (3,57%).
CONCLUSÕES: 23% dos homens considerados como inférteis pelos critérios da OMS 1999 foram realocados como férteis de acordo critérios da OMS 2010, sendo a motilidade o critério mais alterado. Essa discrepância corrobora a validade da reformulação dos critérios propostos na 5ª edição, concluindo que uma parcela significativa de homens que previamente receberiam indicação de tratamento para infertilidade, hoje não receberiam mais. Dessa forma, reduzindo impacto social e custos médicos com exames e métodos terapêuticos desnecessários.

Palavras Chave ( separado por ; )

Infertilidade; Espermograma.

Área

Infertilidade

Instituições

Fertway Reprodução Humana - Parana - Brasil

Autores

Guilherme Temporão Monteiro, Rodrigo Guimarães Furtado, Fellipe Guilherme Mann, Francisco Furtado Filho