Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO EXPERIMENTAL PARA TREINAMENTO DE VASOVASOSTOMIA

Resumo

Introdução: Estima-se que aproximadamente 6% dos homens submetidos a cirurgia esterilizadora busquem em algum momento da vida readquirir sua fecundidade. Dentre as opções possíveis, a reversão de vasectomia, também conhecida como vasovasostomia, é considerada como padrão ouro, com taxas de patência e gravidez, atingindo 89,4% e 73%, respectivamente. Para a realização desse procedimento os urologistas necessitam adquirir habilidades em microcirurgia, como domínio na utilização de microscopia ótica e manejo de instrumentais e materiais cirúrgicos extremamente delicados. Infelizmente uma parcela expressiva dos urologistas em formação terminam o programa de residência médica sem alcançar tais competências, tendo que investir tempo e dinheiro em cursos de capacitação. Alguns autores vêm preconizando a utilização de modelos experimentais como um método importante para o treinamento e aquisição de habilidades em microcirurgia. Objetivos: Demonstrar um modelo experimental, não animal, para o treinamento de reversão de vasectomia. Materiais e Métodos: O modelo consiste em dois ductos deferentes artificiais, confeccionados com tubos de silicone, revestidos por uma resina da cor branca, medindo 10 cm de comprimento e diâmetros interno e externo de 0,5 e 1,5 mm, respectivamente. O suporte para os ductos é composto por uma pequena caixa, desenvolvida com ácido polilático, através de impressora 3D. O intuito da invenção é simular o campo cirúrgico de uma vasovasostomia, no momento em que os deferentes foram isolados das demais estruturas do cordão. Buscou-se verificar a aquisição de habilidades em microcirurgia com sua utilização, durante um curso de capacitação envolvendo 5 residentes de urologia de um hospital da região. Foi avaliada, ao longo das sessões de treinamento, a velocidade de realização de suturas microcirúrgicas antes a após a simulação de uma vasovasostomia com o respectivo modelo. Os dados coletados foram submetidos a análise estatística através do programa BioEstat© 5.4. Resultados: O tempo médio para realização de suturas microcirúrgicas melhorou consideravelmente ao longo do curso, atingindo um platô a partir do terceiro dia de treinamento (p=0,0365). Conclusões: O modelo desenvolvido proporcionou aos participantes do estudo o ganho de habilidades em microcirurgia, sedo o mesmo apropriado para o treinamento de reversão de vasectomia.

Palavras Chave ( separado por ; )

vasovasosotomia; modelos experimentais; ductos deferentes; educação médica.

Área

Infertilidade

Instituições

Universidade do Estado do Pará - Para - Brasil

Autores

Luis Otávio Amaral Duarte Pinto, Herick Pampolha Huet Bacelar, Charles Alberto Villacorta Barros, Anderson Bentes Lima, Oscar Dias Teixeira Junior, Deivid Ramos dos Santos, Nayara Pontes Araújo, Mariseth Carvalho Andrade, Renata Cunha Silva, Mauro Souza Pantoja