Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

REINTERNAÇAO HOSPITALAR NAO ELETIVA DE UM SERVIÇO DE UROLOGIA DE UM HOSPITAL PUBLICO TERCIARIO DE ENSINO DO SUL DO BRASIL

Resumo

Introdução. As reinternações hospitalares não eletivas são comuns, prejudiciais para os pacientes e associadas com custos significativos para o sistema de saúde.
Objetivo. Descrever a taxa de reinternação hospitalar não eletiva em 30 dias dos pacientes com alta do Serviço de Urologia de um hospital público terciário de ensino do sul do Brasil e, secundariamente, descrever o perfil dessas reinternações e desses pacientes.
Métodos. Estudo de coorte retrospectivo incluindo todas as altas hospitalares do respectivo Serviço em 2018, sendo avaliadas as reinternações não eletivas em 30 dias na mesma instituição, excluindo-se transferências e evasões. Teste U de Mann-Whitney foi utilizado na comparação das variáveis contínuas entre os grupos. O nível de significância adotado em todos os testes foi de 5%.
Resultados. Foram analisadas 1.242 altas hospitalares de pacientes com mediana de idade de 62,7 (IIQ: 47,1-70,6) anos, sendo 972 (78,3%) masculinos. A mediana de permanência foi de 6,0 (IIQ: 2,0-13,0) dias, sendo instalação endoscópica de cateter duplo J (10,7%) o procedimento da hospitalização mais frequente conforme a Autorização de Internação Hospitalar (AIH), e calculose do rim (10,1%) o CID da alta mais observado. A taxa de reinternação não eletiva em 30 dias foi de 4,8% (IC95%: 3,6-6,0%). Das 59 reinternações, 46 (78,0%) foram relacionadas à internação index, sendo dessas, 27 (58,7%) por complicações infecciosas. Os pacientes que reinternaram no período apresentavam idade mais elevada [66,0 (IIQ: 54,2-74,1) vs. 62,6 (IIQ: 46,9-70,4); P = 0,022] e internação index mais prolongada [11,0 (5,0-21,0) vs. 6,0 (1,0-13,0); P < 0,001] quando comparados aos que não foram readmitidos. A ressecção endoscópica de lesão vesical (13,6%)/câncer de bexiga (15,3%) e a instalação endoscópica de cateter duplo J (10,7%)/calculose do rim (10,4%) foram o procedimento da hospitalização e o CID da alta, que mais frequentes nos pacientes readmitidos e nos sem reinternação, respectivamente.
Conclusões. A taxa de reinternação de pacientes admitidos previamente por problemas urológicos em nossa instituição apresentou níveis semelhantes aos hospitais americanos. Em nossa análise, a idade mais elevada e o tempo de internação index mais prolongado foram mais frequentes nos casos de readmissão.

Palavras Chave ( separado por ; )

Readmissão do paciente, Urologia, Hospitais públicos, Hospitais de ensino

Área

Transplante Renal / Miscelânea

Instituições

Grupo Hospitalar Conceição - Rio Grande do Sul - Brasil

Autores

Ricardo Segabinazzi Dotto, Diego Inácio Goergen, Fernando Pivatto, André Wajner, André de Oliveira Martins, Renan Machado Lemos, Guilherme Marx, Raul Florio Real, Augusto Luiz Giongo, Daniel Melecchi de Oliveira Freitas