Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

BIOPSIAS DE PROSTATA REALIZADAS POR RESIDENTES DE UROLOGIA APRESENTAM A MESMA TAXA DE DETECÇAO DO QUE PRECEPTORES.

Resumo

Introdução: O câncer de próstata (CaP) é a 2ª neoplasia mais incidente em homens. As alterações no toque retal e a elevação nos níveis de antígeno prostático específico total (PSAt) são as indicações mais comuns para prosseguimento da investigação com biópsia de próstata (BP), que é o padrão-ouro no diagnóstico do CaP. No Brasil, o método mais utilizado é a biópsia da próstata guiada por ultrassom transretal (BP-USTR) com fragmentos aleatórios. Este método diagnóstico faz parte dos procedimentos a serem realizados durante o treinamento dos médicos residentes em Urologia e apresenta como desfechos relevantes a taxa de detecção do CaP e de complicações.Objetivos: Avaliar as taxas de detecção do CaP e de complicações em pacientes submetidos à BP-USTR realizadas por Urologista preceptor do serviço de Urologia quando comparados aos exames realizados por médicos Residentes em Urologia.Métodos: Estudo retrospectivo, onde foram avaliados 205 pacientes que foram submetidos à BP-USTR no período entre agosto/2014 à janeiro/2019 em um hospital terciário do sul do Brasil. Os casos foram alocados em dois grupos determinados pelo profissional que havia realizado a BP-USTR (Preceptor ou Residente). As variáveis demográficas analisadas foram: idade (anos), raça (branco ou não branco), nível de PSAt (ng/ml), volume da próstata (cm3) e a densidade do PSA (PSAt/volume da próstata). Os desfechos principais foram a taxa de detecção do CaP e as complicações relacionadas ao procedimento até 30 dias após a realização da biópsia. O nível de significância buscado foi de P<0,05.Resultados: Dentre os 205 pacientes submetidos à BP-USTR, 89,3% eram brancos. Do total, 93 pacientes (45,3%) tiveram a biópsia realizada por Preceptor e 112 (54,6%) pelo Residente. Não houve diferenças estatisticamente significativas com relação à média de idade, raça, níveis de PSAt, volume prostático e densidade do PSA. A taxa de detecção do CaP foi de 48,3% e 46,5% (p>0.05) no grupo Preceptor e Residente, e as complicações foram de 4% e 4,5% (P>0.05), respectivamente.Conclusão: Em um hospital terciário de ensino as taxas de detecção de CaP e de complicações após a realização de BP-USTR foram semelhantes entre os grupos analisados. A realização de BP-USTR por médicos Residentes é segura e factível e mantém resultados satisfatórios quando comparados a médicos mais experientes.

Palavras Chave ( separado por ; )

próstata; biópsia; residentes

Área

Uro-oncologia

Instituições

Hospital Nossa Senhora da Conceição - Rio Grande do Sul - Brasil

Autores

Renan Machado Lemos, Daniel Melecchi Freitas , Andre Oliveira Martins, Diego Inácio Goergen, Raul Florio Real, Ricardo Segabinazzi Dotto, Guilherme Marx, Arthur Ferronato Dallagnol, Augusto Luiz Giongo, Mariana Damasceno Linhares