Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

MITROFANOFF APENDICOVESICOSTOMIA ROBOTICA EM PACIENTE ADULTO JOVEM COM BEXIGA NEUROGENICA

Resumo

Introdução: O procedimento de Mitrofanoff, descrito pela primeira vez em 1980, estabelece um mecanismo alternativo de esvaziamento da bexiga neurogênica. Um método bem-sucedido de cateterização continente com poucas complicações. Tradicionalmente tem sido realizado através de cirurgia aberta. Com o recente desenvolvimento de técnicas laparoscópicas e robóticas, uma abordagem minimamente invasiva pode agora ser considerada.
Objetivo: Apresentar uma abordagem robótica de apendicovesicostomia cutânea (Mitrofanoff) sem ampliação vesical em um paciente jovem com bexiga neurogênica.
Métodos: Masculino, 30 anos, hígido, apresentou 3 episódios infecção urinária febril graves no período de 1 ano, seguido de retenção urinária com necessidade de sondagem vesical de demora. Estudo urodinâmico revelou bexiga de capacidade aumentada, hipoatividade detrusora acentuada e resíduo elevado. Na uretrocistografia, bexiga com capacidade de 1600 ml, paredes espessadas, múltiplos divertículos e refluxo vesico-ureteral esquerdo. Ressonância magnética de coluna lombo-sacra com fusão incompleta dos arcos neurais posteriores L4, L5 e S1, com sinais de “tetherd cord”. Cistoscopia não identificou fator obstrutivo, confirmando bexiga neurogênica.
Resultados: Após falha na tentativa de manter com cateterismo intermitente limpo por via uretral, foi proposto a realização da apendicovesicosctomia. A cirurgia foi realizada por via transperitoneal com equipamento robótico da Vinci Si, com uso de 4 braços e 4 pinças. Confecção do conduto com o apêndice cecal, anastomose na parede anterior da bexiga com túnel anti-refluxo, e na cicatriz umbilical, no orifício do trocater. Tempo de cirurgia de 174 minutos, sem sangramento e sem outras complicações. Evoluiu com boa recuperação e alta no 2º dia. Mantido sonda de foley nº 12 Fr pelo conduto, na cicatriz umbilical, e outra 16 Fr pela uretra, por 4 semanas. Iniciou o cateterismo após a retirada das sondas, com sucesso. Após período de adaptação, permanece com a realização de cateterismo 4 vezes ao dia, sem perdas de urina, e sem outras complicações no seguimento de 14 meses.
Conclusões: Demonstramos que a apendicovesicostomia cutânea Mitrofanoff pode ser realizada de forma segura pela técnica robótica, com eficácia adequada, resultados e taxas de complicação semelhantes às das técnicas abertas. Os benefícios da cirurgia robótica como diminuição da dor, diminuição do tempo de permanência hospitalar e melhora do aspecto cosmético devem ser considerados.

Palavras Chave ( separado por ; )

Apendicovesicostomia; Mitrofanoff; bexiga neurogênica; cirurgia robótica.

Área

Uroneurologia / Disfunção Miccionais / Urodinâmica

Instituições

HOSPITAL MILITAR DE ÁREA DE SÃO PAULO - Sao Paulo - Brasil, HOSPITAL SAO LUIZ - REDE DOR - Sao Paulo - Brasil

Autores

JOAO PADUA MANZANO, SAULO CUNHA RECUERO, FREDERICO TEIXEIRA BARBOSA, DANIELSP LUIZ PAULILLO, DAVI SOUZA CONSTANTIN, FELIPE PUGLIESI, FABRIZIO MAGALDI MESSETTI, JOSE RICARDO CRUZ SILVINO, FABIO CROCHIK, RICARDO LUIS VITA NUNES