Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

PERFIL MICROBIOLOGICO E DE RESISTENCIA BACTERIANA EM POPULAÇAO DE MILITARES E SEUS BENEFICIARIOS EM SAO PAULO

Resumo

INTRODUÇÃO: Nas últimas décadas vimos vivenciando um crescimento irreversível da resistência bacteriana, não somente em caráter nosocomial, como também a nível comunitário. A infecção urinária é a segunda infecção mais comum do nosso organismo e pode ter consequências potencialmente graves, como urosepse ou até letais. É imprescindível que cada instituição conheça o perfil bacteriano do seu ecossistema e que possa, com isto, personalizar diretrizes e gerenciamento do uso de antibióticos adequadamente às suas necessidades. O público militar e seus beneficiários possuem, em tese, estilo de vida saudável, que pode influenciar a alteração deste perfil em relação ao da população geral de sua região. OBJETIVOS: Identificar o perfil microbiológico e de sensibilidade e resistência bacterianas de usuários militares e seus beneficiários nas uroculturas (URC) de um hospital militar em São Paulo. MÉTODO: Foi acessado banco de dados laboratoriais do Hospital Militar de Área de São Paulo pelo programa Complab Advanced 1.0.0.681 e identificadas todas as URC realizadas no período entre 1/1/2017 a 31/12/2018. A partir dos resultados positivos destas, foram avaliados agente microbiológico e antibiograma (sensibilidade e resistência aos antibióticos testados). Os dados gerais foram tabulados e estratificados por setores ambulatorial, pronto socorro, enfermaria e unidade de terapia intensiva (UTI) e analisados através do programa SPSS 25.0, sendo demonstrados em frequência por porcentagem. RESULTADOS: Foram analisadas 5.995 URC no período, sendo das quais 1372 positivas (22.9%). Na avaliação geral, os microorganismos mais prevalentes foram a Eschericchia coli (47.9%), Pseudomonas aeroginosas (5.9%), Klebsiella pneumoniae (5.6%) e Candida albicans (5.2%), maior agente na UTI. Para a E. coli, os melhores perfis de sensibilidade foram para amicacina (97.7%), nitrofurantoína (97.6%) e meropenem (94.9%). Para P. aeroginosa, cefoxitina (100%), eritromicina (100%) e levofloxacina (93.9%), enquanto para a K. penumoniae, apenas vancomicina (100%) e amicacina (92.5%) obtiveram sensibilidade acima de 85%. Os dados de todos patógenos bem como a estratificação dos setores estão nas tabelas anexas. CONCLUSÃO: Na população analisada a E. coli não foi tão prevalente como usualmente ocorre, assim como o perfil de resistência implicou em influência precípua na padronização do tratamento antibiótico desta instituição, especialmente o empírico, denotando a valiosa contribuição desta análise.


Palavras Chave ( separado por ; )

RESISTÊNCIA BACTERIANA; INFECÇÃO URINÁRIA; UROCULTURA; MILITAR

Área

Infecção

Instituições

HOSPITAL MILITAR DE ÁREA DE SÃO PAULO - Sao Paulo - Brasil, UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI - Sao Paulo - Brasil

Autores

RICARDO LUÍS VITA-NUNES, RAFAEL DE SENA JUSTINO, HELLEN SILVA GUINOSA, TIAGO CYRILLO DEVITTE, RAFAEL TSOTUMU YADOYA, THAINÃ AZAMBUJA, RODRIGO PERRELLA, VINÍCIUS MENEGUETTE, DAVI CONSTANTIN, PETRONIO AUGUSTO MELO