Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Associação entre o uso de plásticos e cosméticos durante a gestação e a distância anogenital em recém-nascidos do sexo masculino

Resumo

Em humanos, a distância anogenital (AGD) em recém-nascidos é utilizada como um marcador do ambiente endócrino gestacional. Essa medida é dimórfica entre os sexos, sendo maior em meninos. O estímulo hormonal androgênico in utero proporciona o alongamento do períneo e o aumento da distância anogenital. Alguns agentes químicos ambientais e medicamentos têm a capacidade de interferir nesse processo, por seu efeito desregulador endócrino. Em meninos, a redução da AGD está associada com defeitos genitais e disfunção testicular. Os desreguladores endócrinos estão presentes em produtos de uso cotidiano, como cosméticos e produtos plásticos. Neste estudo, avaliamos o uso de produtos plásticos e cosméticos em gestantes do Estudo Curitibano de Investigação do Ambiente e Reprodução (CUIDAR), um estudo coorte gestacional em curso na cidade de Curitiba, assim como a possível relação entre o uso desses produtos no início da gestação e a AGD de recém-nascidos. Nossa hipótese é que a exposição gestacional a produtos contendo desreguladores endócrinos está associada à redução da AGD em bebês. Até maio de 2019 foram recrutadas 209 gestantes, sendo 47 pares de mães e bebês (25 meninos e 22 meninas). Na população recrutada (n=209), observamos que a maioria das gestantes utiliza regularmente embalagens plásticas (80%) e filme plástico flexível (52%), bem como uso faz regular de cosméticos como batom (65%), esmalte (61%), loção corporal (73%) e perfume (79%) e essas proporções foram similares no subgrupo que completou o estudo até a fase final do exame físico (n=47). Quando analisamos a relação entre o uso de produtos plásticos na gestação (usuárias versus não usuárias) e a AGD em bebês não observamos associações significativas. Em relação aos cosméticos, não observamos associações entre o uso de perfume e loção hidratante corporal e a AGD. Contudo, ao contrário da nossa hipótese, detectamos redução na AGD em meninos e meninas cujas mães não reportaram uso de esmalte, assim como uma redução na AGD de filhos de gestantes que não reportaram uso batom na gestação. Nossos dados preliminares indicam amplo uso de produtos de consumo que são fontes potenciais de desreguladores endócrinos. Os dados parciais da relação entre exposição e AGD são inconclusivos. Na continuidade deste estudo quantificaremos alguns desreguladores endócrinos em amostras urinárias maternas, avaliaremos um tamanho amostral maior e aplicaremos análises multivariadas a fim de elucidar possíveis associações.

Palavras Chave ( separado por ; )

Desreguladores endócrinos; Distância anogenital ; Gestação

Área

Ciência Básica

Instituições

Universidade Federal do Paraná - Parana - Brasil

Autores

Amanda Atuati Maltoni, Mariana Regina Rompkovski, Vitória Aline Santana Rios, Marcella Tapias Passoni Pereira da Silva , Juliana Machado Franco, Daniele Dietrich da Moura Costa, Sofia Santos Lima Figueiredo, Nathalia Ferreira Camarço, Debora Salles da Silva Coutinho, Anderson Joel Martino-Andrade