Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Achados na fratura de pênis de etiologia não-sexual.

Resumo

Introdução: A fratura peniana (FP) consiste no trauma contuso do pênis em ereção, resultando na ruptura da túnica albugínea do corpo cavernoso (CC). A relação sexual consiste na causa mais comum. No entanto, mecanismos de lesão não-sexual também podem ser responsáveis pela FP.
Objetivos: Descrever achados da FP de etiologia não-sexual, com ênfase nos dados demográficos, achados operatórios e do follow-up.
Material e métodos: Pacientes com diagnóstico de FP de etiologia não-sexual operados em nossa instituição foram incluídos neste estudo. Avaliação retrospectiva foi realizada através da revisão de prontuários. Os pacientes foram convocados para seguimento com avaliação da função sexual e miccional, além de possíveis complicações.
Resultados: De um total de 149 pacientes submetidos ao tratamento cirúrgico da FP entre janeiro de 2014 e dezembro de 2018, 18 (12%) relataram etiologia não-sexual. Doze (66,6%) casos foram decorrentes de manipulação peniana através do ato de dobrar o pênis durante ereção matinal, três (16,6%) ao rolar da cama com o pênis ereto, um (5,5%) após trauma ao abraçar a esposa em ereção, um (5,5%) ao deitar sobre a parceira com o pênis ereto e outro (5,5%) ao sentar no vaso sanitário em ereção. A idade variou de 24 a 69 anos (média = 41,6). No que diz respeito à apresentação clínica, o principal achado foi hematoma, observado em todos os pacientes, seguido de estalido em 17 (94,4%) casos, detumescência imediata em 15 (83,3%) e dor em 14 (77,7%). Uretrorragia, hematúria e retenção urinária não foram observadas em nenhum caso. Os achados operatórios foram lesão de CC unilateral em todos os casos. Apenas um (5,5%) paciente apresentou lesão de uretra, sendo esta parcial. O tempo de evolução entre o trauma e a cirurgia variou de 03 a 168 horas (média = 36,8). O follow-up médio foi de 9,4 meses (variação = 03-17). No que diz respeito às complicações sexuais, três (16,6%) pacientes evoluíram com disfunção erétil, sendo dois casos classificados como leve e outro moderada a leve. Um (5,5%) paciente evoluiu com curvatura peniana < 30 graus, sem necessidade de correção cirúrgica. Nenhum paciente apresentou queixa miccional no follow-up.
Conclusões: A FP consiste em uma rara emergência urológica, especialmente na etiologia não-sexual. Esses casos estão relacionados a traumas de baixa energia, tendo como principal achado a ruptura unilateral do CC, sem acometimento uretral. Complicações sexuais podem estar presentes, merecendo acompanhamento.

Palavras Chave ( separado por ; )

Fratura de pênis; trauma peniano; ruptura de corpos cavernosos.

Área

Trauma / Uretra / Urologia Reconstrutora

Instituições

Hospital Municipal Souza Aguiar - Rio de Janeiro - Brasil

Autores

Rodrigo Barros, Erika Fernandes Celino, Daniel Hampl, Ricardo Almeida, Marcelo Medeiros, Leandro Koifman