Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

SERIE DE CASOS: 43 ADRENALECTOMIAS

Resumo

Introdução:
Tumores da glândula adrenal são divididos em funcionais ou silenciosos e em benignos ou malignos.
Nos adenomas adrenais funcionais, a hipersecreção de cortisol é a anormalidade hormonal mais frequentemente encontrada.
Os carcinomas adrenocorticais(CAC) são raros, mais comuns em mulheres que em homens (1.5 a 2.5:1).
Aproximadamente 60% dos CACs são secretores o suficiente para apresentar síndrome clínica de excesso de hormônio. Adultos com CACs secretores de hormônio geralmente apresentam apenas Síndrome de Cushing (45%), ou uma combinação de Cushing e Síndrome de Virilização.
A adrenalectomia pode ser realizada laparoscopicamente ou em procedimento aberto.
Para pacientes com suspeita de carcinoma adrenocortical ou já conhecido, a laparoscopia deve ser considerada apenas se a massa for <10 cm e não aparentar ser localmente invasiva. A adrenalectomia aberta é recomendada para todas as massas adrenais maiores que 10 cm, incluindo achados de aparência benigna, dado que podem ser diagnosticados como malignos após exame anatomopatológico definitivo.

Objetivos:
Descrever uma série de casos de pacientes submetidos a adrenalectomia, suas características e comparar os resultados com a literatura.

Métodos:
Trata-se de estudo retrospectivo, incluindo todos os pacientes submetidos a adrenalectomia em um único centro, entre 2012 e 2019. Foi realizada busca no banco de dados de características demográficas, clínicas e patológicas.

Resultados:
O total de pacientes submetidos a adrenalectomia neste período foi de 43 casos.
A média de idade dos pacientes do estudo foi de 33 anos, sendo 76% do sexo feminino.
Os diagnósticos anatomopatológicos mais comuns foram adenoma (32%), carcinoma (28%) e feocromocitoma (14%).
70% dos pacientes foram operados pela via laparoscópica; 30% pela via aberta, esta via foi mais indicada quando havia maior suspeição para carcinomas.
Em relação à produção hormonal; os mais comuns foram cortisol (29%), catecolaminas (18%), cortisol e andrógenos (9%). 23% dos tumores não produziam nenhum hormônio, nestes casos a cirurgia foi indicada pelo tamanho da lesão ou alta suspeição para carcinoma. Os outros 21% produziam outros hormônios ou mais de um hormônio.

Conclusões:
Nossa série de casos esta alinhada com os resultados da literatura em relação a principal etiologia dos tumores adrenais (adenomas), secreção hormonal (cortisol), acometimento por sexo e indicação de via de acesso de acordo com o diagnóstico patológico.

Palavras Chave ( separado por ; )

Adrenal ; carcinoma ; adenoma ; incidentaloma

Área

Ciência Básica

Instituições

Santa Casa de São Paulo - Sao Paulo - Brasil

Autores

Rafael Ribeiro Zanotti, Roni de Carvalho Fernandes, Victor Thomé, Marcio Rosa Pagan, Christian Friedrich Fuhro, Pedro Ivo Calderon Ravizzini, Pablo Leonardo Traete, Fernanda Monteiro Orellana, Luiz Felipe de Mello Leitão, Luis Gustavo Morato de Toledo