Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

PROS E CONTRAS DA ABORDAGEM EXTRAPERITONEAL VERSUS TRASPERITONEAL NA PROSTATECTOMIA LAPAROSCOPICA

Resumo

INTRODUÇÃO: Nos últimos anos a abordagem laparoscópica vem se desenvolvendo cada vez mais e se estabelecendo como uma opção extremamente viável para a prostatectomia radical. Sugerindo nos trabalhos recentes que a laparoscopia está associado a menor sangramento peri-operatório, melhor visualização do campo cirúrgico, menor dor no pós operatório e um menor tempo de recuperação cirúrgica. A prostatectomia radical laparoscópica (PRL) pode ser realizada através de uma abordagem extraperitoneal ou trasnperitoneal. OBJETIVOS: Apresentar pontos de vantagens e desvantagens da prostatectomia radical laparoscópica em suas possíveis abordagem, e trazer a discussão e reflexão delas. MÉTODOS: Em uma comparação retrospectiva entre PRL extraperitonial e transperitoneal, Hoznek et al. (2003) descobriram que o tempo cirúrgico médio foi menor com a abordagem extraperitonial, com uma maior economia de tempo ocorrendo durante o acesso ao espaço de Retzius. Além de sugerir que o tempo para iniciar a dieta completa do paciente no pós-operatório, foi menor com a abordagem extraperitonial versus transperitoneal, porque o peritônio não tinha sido violado e o íleo pós-operatório foi minimizado. Outras vantagens que alguns autores como Eden et al (2004) traz, está na permanência hospitalar e retorno da continência precoce em pacientes submetidos a PRL extraperitoneal versus transperitoneal, postulando que a volta mais precoce para o controle urinário pode ser decorrência da menor dissecção da bexiga e, talvez, menor disfunção da bexiga em comparação com a trasperitoneal. A maioria dos estudos, no entanto, encontrou pouca ou nenhuma diferença no tempo cirúrgico e nos resultados perioperátorios entre as abordagens transperitoneal e extraperitoneal. Uma limitação enorme da abordagem extraperitoneal é o espaço de trabalho relativamente maior da cavidade peritoneal adquirida com o acesso transperitoneal. RESULTADO E CONCLUSÃO: Concluímos que em geral, o emprego de uma abordagem extraperitoneal ou transperitoneal para PRL é, em grande parte, uma questão de preferência e experiência do cirurgião, avaliando caso a caso os pós e contras de cada abordagem e optando por alguma para cada indivíduo e situação em específico, demonstrando que não há vantagens consistentes demonstradas para qualquer abordagem.

Palavras Chave ( separado por ; )

PROSTATECTOMIA LAPAROSCOPICA ; ABORDAGEM EXTRAPERITONEAL VERSUS TRASPERITONEAL; CANCÊR DE PROSTATA

Área

Transplante Renal / Miscelânea

Instituições

SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE GOIÂNIA - Goias - Brasil

Autores

ROGERIO MENEZES SILVA, LEANDRO CARVALHO VITORINO, TIAGO MORAES ARAUJO, JOÃO ERNESTO PETRILLO LEÃO, LUIS KLÉBER FERNANDES LIMA, WAGNER GALVÃO KONO, OCTÁVIO ANTÔNIO DIAS NETO