Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

PERFIL EPIDEMIOLOGICO LABORATORIAL DOS PACIENTES EM HEMODIALISE COM ANALISE DA UREIA PRE E POS HEMODIALISE

Resumo

Introdução: Entre as opções terapêuticas na doença renal crônica (DRC) avançada, destaca-se a hemodiálise, que é um dos métodos de terapia de substituição renal mais utilizado. Uma das maneiras de monitorar a resposta é com dosagem de ureia sérica. A ureia é um resíduo nitrogenado resultante da metabolização de proteínas e é quase completamente excretada pelos rins ou depuradas pela hemodiálise. Sendo assim a avaliação da ureia pré e pós hemodiálise mostra-se recurso importante para avaliação da qualidade do tratamento dialítico. Objetivos: Descrição do perfil epidemiológico laboratorial dos pacientes em hemodiálise, com análise bioquímica da ureia sérica pré e pós hemodiálise. Métodos: Trata-se de um estudo descritivo, transversal, quantitativo. A pesquisa ocorreu no Hospital Municipal de Santarém no ano de 2018 com pacientes que realizam hemodiálise. Nesse estudo serão considerados dentro da normalidade os valores de ureia entre 20 – 40 mg/dL Resultado: A amostra do estudo é composta por 35 pacientes renais crônicos em hemodiálise, com predominância do sexo masculino (63%) em relação ao feminino (37%) e prevalência da faixa etária de 46 – 55 anos entre homens com 36% da amostra e entre as mulheres houve predomínio das de idade superior a 65 anos com 31%. Com relação analise bioquímica da ureia, a faixa etária de 18 – 30 anos a que exibiu maior índice de ureia pré hemodiálise, com total de 146,5 mg/dL. Quando se leva em consideração a média por faixa etária da ureia pós hemodiálise verificou-se que nenhum dos grupos etários chegou aos valores considerados ideais para a ureia, ou seja, mesmo após o tratamento dialítico o resultado foi superior a 40 mg/dL. Apesar desse desfecho pode-se analisar que houve grande redução do valor da ureia ao se comparar antes e depois da hemodiálise. Sendo que o grupo de 18 – 30 anos que apresentou maior valor no momento pré hemodiálise manteve-se com maior valor de ureia pós hemodiálise, com média total de 68,5 mg/dL. Conclusões: Com relação ao perfil epidemiológico predomina o sexo masculino com variação de idade entre 46 e 55 anos. Após análise dos resultados encontrados pode-se concluir que os parâmetros de ureia pré e pós-hemodiálise não estão ideais seja por falha da terapia dialítica ou por fatores nutricionais e comportamentais adotados pelos pacientes. Sendo necessária a realização de mais estudos para conclusão de qual desses fatores tem maior impacto na elevação da ureia de pacientes sob terapia hemodialítica.

Palavras Chave ( separado por ; )

Doença renal crônica; ureia; hemodiálise

Área

Ciência Básica

Instituições

UEPA - Para - Brasil

Autores

WESLEY QUEIROZ MUNIZ, Adriane Cristina Vieira Santos, Jord Thyego Simplício Lima, Maristella Rodrigues Nery Rocha, Miguel Rebouças Sousa, Marcelo José Sanches Rocha, Flavio Silva Costa Umbelino, Adriele Feitosa Ribeiro, Edson Jandrey Cota Queiroz, Joás Cavalcante Estumano