Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

COMPARAÇAO DO TOQUE RETAL REALIZADO PELO PRECEPTOR E POR RESIDENTES, SEGUIDOS DE BIOPSIA DE PROSTATA EM HOSPITAL UNIVERSITARIO

Resumo

Introdução: O câncer de próstata é a neoplasia sólida mais frequente em homens. O toque retal compõe uma das ferramentas para o rastreamento, mas com relatos de acurácia isoladamente baixa, muitas vezes relacionada ao treinamento do médico. Objetivos: O presente estudo faz uma análise de toque retal realizado para identificação de câncer de próstata, comparando os resultados obtidos por médicos residentes de um serviço de residência médica e seus preceptores. O toque retal (TR) foi realizado por médicos preceptores e por residentes do primeiro e segundo ano do serviço de Urologia de um hospital universitário e comparados a biopsia transretal de próstata. Métodos: Participaram do estudo 29 pacientes, examinados pelo médico residente e preceptor. Os exames de TR foram realizados em pacientes sob sedação por anestesiologista, de forma consecutiva entre os médicos preceptores e o residente, imediatamente antes dos pacientes serem submetidos a biopsia prostática por ultrassonografia transretal. Utilizando-se de um formulário elaborado pelo serviço, foram registrados os seguintes dados: tamanho estimado da próstata (g), consistência (fibroelástica, firme ou pétrea), limites (bem ou mal delimitado), superfície (lisa, nodular ou irregularidade), lateralidade (direita ou esquerda), mobilidade (fixa ou móvel) e impressão (benignidade ou neoplasia). Os registros foram feitos em fichas separadas, sem acesso as informações anotadas pelos médicos preceptores e residentes envolvidos na execução do toque. A confirmação das alterações prostáticas foi anatomopatológica, a partir dos fragmentos coletados na biópsia. Resultados: Houve acerto em 66% (19/29) dos exames realizados por preceptoria, contra 44% (11/25) dos residentes do 2o ano e 54% (13/24) do 1o ano(R1) em urologia. Considerando o toque retal do residente mais graduado, quando tanto R1 quanto R2 realizaram o exame, os residentes obtiveram 44% (13/29) de acerto. Os pacientes que tinham biópsia de próstata com porcentagem de fragmentos comprometidos pelo câncer acima de 50%, tinham mais chance de serem diagnosticados no toque retal 78%. Conclusão: O toque retal foi capaz suspeitar de câncer de próstata em mais da metade dos casos nas mãos do preceptor, tendo os preceptores melhores resultados na realização do toque retal. O toque retal foi útil na detecção de tumores com porcentagem de fragmento comprometido acima de 50%. O treinamento deve ser incentivado na formação do residente, melhorando a efetividade do TR.

Palavras Chave ( separado por ; )

toque retal; biópsia de próstata; câncer de próstata; screening; rastreamento

Área

Uro-oncologia

Instituições

Hospital de Clínicas HC-UFPR - Parana - Brasil

Autores

Daniel Elias Carara, Osny Barros Junior, Marcelo Alves Aranha, Lydio Barbier Neto, Rodrigo Krieger Martins, Raphael Flavio Fachini Cipriani, Joaquim Lorenzetti Andrade, Ivam Vargas Martins Silva