Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ESTUDO DE INFECÇAO EM IMPLANTES DE SILICONE RECOBERTOS COM DIOXIDO DE MANGANES EM MODELO ANIMAL

Resumo

Introdução
Durante o ato cirúrgico mesmo uma pequena contaminação pode ser suficiente para causar infecção quando há colocação de um corpo estranho como próteses ou implantes. O tratamento das complicações infecciosas requer reabordagem cirúrgica e remoção da prótese na maioria dos casos e por isso muitos esforços tem sido realizados a fim de evitar sua ocorrência.
Objetivo: O objetivo deste estudo é propor um novo revestimento com dióxido de Manganês para as próteses de silicone por meio de teste de proliferação bacteriana após inoculação com Escherichia coli.
Métodologia: Dois implantes de 10 x 10 x 0,7milímetros foram colocados separadamente no subcutâneo do dorso de ratos Wistar. A única diferença entre as amostras era presença ou ausência de revestimento com dióxido de Mn. Foi inoculado 0,5ml de solução de E. coli na concentração de 1.000.000 UFC/ml em cada amostra. Metade dos animais foram eutanaziados em 7 dias e os demais em 28dias. Foi realizada cultura e microscopia confocal para avaliação de crescimento e adesão bacterianas.

Resultados
Em 7 dias, os implantes controles apresentaram crescimento bacteriano 17 vezes maior nas culturas ( p <0,001), com crescimento médio de 503.000UFC/ml enquanto as amostras com revestimento de MnO2 apresentaram um crescimento médio de 28.700UFC/ml. Após 4 semanas, o crescimento bacteriano médio foi de 7.600UFC/ml nos implantes revestidos e 53.900UFC/ml nos controles. A diferença média foi de 46.200UFC/ml ( IC 95%: 21100 - 71400). A microscopia confocal apresentou a porcentagem de superfície do material com bacterias aderidas. Em 7 dias, não houve diferença significativa: 6,85% nos implantes revestidos e 10,9% nos controles (p: 0,32). Em 28 semanas, o grupo revestido por MnO2 apresentou 0,98% de área acometida enquanto os controles 7,64%; com diferença significativa (p: 0,004)

Conclusões
O revestimento com dióxido de manganês se mostrou eficaz na diminuição de adesão e crescimento bacteriano em implantes de silicone em modelo animal. Estes achados podem ser úteis para o desenvolvimento de biomateriais.

Palavras Chave ( separado por ; )

implantes; silicone; infecção; coating

Área

Ciência Básica

Instituições

Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - Sao Paulo - Brasil

Autores

LUCAS MIRA GON, Caio César Citatini de Campos, Eduardo Riccetto, Carlos Emilio Levy, Matheus Botelho Santos, Marina Correa Viana, Danilo Leite Andrade, Arnold Peter Paul Acherman, Barbara Ferrarezi, Cássio Luís Zanettini Riccetto