Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

HORMONIOTERAPIA EM CANCER DE PROSTATA COM ANTAGONISTA DO HORMONIO LIBERADOR DE GONADOTROFINA- EXPERIENCIA DE UMA UNIDADE TERCIARIA

Resumo

Introdução- O câncer de próstata (Cap) é a segunda neoplasia maligna mais frequente no homem, atrás apenas do câncer de pele não melanoma. Os custos com tratamento para esta doença têm aumentado com o passar dos anos. Até pouco tempo a opção de tratamento para os casos de doença avançada ou falha de tratamento inicial, o bloqueio hormonal (ADT), era considerado “padrão-ouro”. A estratificação de estadiamentos, classificação de riscos, desenvolvimento de novas tecnologias diagnósticas e terapêuticas vem abrindo novas fronteiras no diagnóstico, tratamento e controle da doença permitindo melhor qualidade de vida e sobrevida câncer específica. Objetivo- Avaliar a eficácia da utilização do antagonista do GnRH- acetato de degarelix- em pacientes com Cap não candidatos ao procedimento cirúrgico, avaliar os valores séricos de PSA total, Testosterona total( Tt) e o Performance Status (PS) durante o tratamento. Material e métodos- Coorte programada por 180 dias para avaliar a a eficácia da medicação (acetato de degarelix- 240 mg/ 80 mg mensais) no ADT em pacientes com Cap localmente avançado, avaliando-se aspectos como o PS, PSAt e Tt. Utilizado -se critérios de D'amico e AUA 2018 para Cap de alto risco e volume , unidade com atendimento urológico exclusivo. Pacientes com risco cardiovascular elevado também foram incluídos nesta opção de tratamento. Inclusão dos pacientes no fluxograma da medicação respeitou o protocolo da unidade e a assinatura de um termo de consentimento informado sobre o tratamento medicamentoso. Resultados- A média de idade foi de 67,91 anos, o valor médio do PSA no momento da admissão foi de 292,36 ng/ml. Após 60 dias de tratamento a média do PSA foi de 38,17 ng/ml. A melhora do PS ocorreu em todos os pacientes que completaram 06 meses de tratamento. A Tt que foi dosada no início do tratamento encontrava-se em níveis de bloqueio (< 20 ng/ml) a partir de 60 dias de tratamento. Conclusões -A utilização do acetato de degarelix, com protocolos de estratificação de risco, mostra-se efetiva em pacientes com câncer de próstata avançado Os níveis de bloqueio hormonal, bem como a queda do PSA, foram mensuráveis a partir de 30 dias do início do tratamento. Houve melhora substancial da qualidade de vida, queda dos níveis de testosterona sérica e PSA. Não houveram efeitos colaterais graves relacionados ao medicamento. A prescrição do acetato de degarelix por urologistas é eficaz e segura.

Palavras Chave ( separado por ; )

câncer de próstata; bloqueio hormonal; qualidade de vida.

Área

Uro-oncologia

Instituições

Hospital Federal Cardoso Fontes - Rio de Janeiro - Brasil

Autores

Henrique Leitão Amadei, Renato Guedes, Henrique Ottoni, Caio Monteiro Pimentel, Pablo N M Barral, Pedro Paulo O Rodrigues, Joao Paulo Martins Carvalho