Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ESTRATEGIAS CIRURGIAS NA PRESERVAÇAO VAGINAL DURANTE CISTECTOMIA RADICAL LAPAROSCOPICA: VIDEO FORUM

Resumo

INTRODUÇÃO
A exenteração pélvica anterior com derivação urinária e linfadenectomia pélvica é o procedimento padrão para tumores invasivos de bexiga em mulheres, obtendo como resultado 52% de disfunção sexual feminina apos o procedimento. Técnicas menos radicais com preservação de órgãos pélvicos para manter melhores resultados funcionais são alternativas viáveis em casos selecionados, como mulheres sexualmente ativas com neoplasias em estágio inicial (<ou para cT2 cN0 cM0). Embora ainda com dados preliminares, essas técnicas respeitam os fundamentos de cura oncológica, continência urinária e função sexual, sendo oncologicamente seguras, com melhores resultados em relação à função sexual e continência urinária.

OBJETIVO
O objetivo deste vídeo é descrever e mostrar as estratégias utilizadas para melhorar o resultado funcional urinário e sexual após a cistectomia radical laparoscópica, realizando a preservação vaginal e do complexo esfincteriano.

MÉTODOS
Mostramos o vídeo de uma paciente do sexo feminino de 50 anos de idade, sexualmente ativa, que durante a avaliação de hematúria recorrente, foi diagnosticada como portadora de carcinoma urotelial de alto grau com estágio clínico T2, associada à Ca in situ e localizados na parede anterior da bexiga. Ela foi submetida a cistectomia radical laparoscópica com neobexiga ortotópica ileal com preservação dos três quartos inferiores do ducto vaginal e do complexo do esfíncter uretral.


RESULTADOS
O tempo de extirpação cirúrgica foi de 180 min, com uma estimativa de 400ml de sangramento. O achado patológico revelou carcinoma urotelial de alto grau (pT1 pN0) com margens livres. Evoluiu sem complicações, apresentando uma continência urinária diurna precoce, continência urinaria noturna completa e início de relações sexuais pela vagina 5 meses após o procedimento sem dispareunia.

CONCLUSÕES
A preservação vaginal e do complexo esfincteriano são uma opção real com impacto positivo na qualidade de vida e apresentando resultados oncológicos semelhantes a cistectomia radical padrão, aumentando ainda mais os benefícios funcionais, quando é usada a técnica minimamente invasiva.

Palavras Chave ( separado por ; )

cistectomia radical; cirurgia preservadora de órgãos ; preservação vaginal, laparoscopia

Área

Uro-oncologia

Instituições

Hospital de Câncer de Barretos - Sao Paulo - Brasil

Autores

Cinthia Alcántara Quispe, João Paulo Pretti Fantin, Eliney Ferreira Faria, Wesley Justino Magnabosco, Alexandre Cesar Santos, Marcos Tobias-Machado, Roberto Dias Machado