Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

DESENVOLVIMENTO E VALIDAÇAO DE MODELO DE SIMULAÇAO EX-VIVO NAO SACRIFICADO PARA O TREINAMENTO DA CIRURGIA ROBOTICA

Resumo

INTRODUÇÃO: A cirurgia robótica tem revolucionado a prática operatória na atualidade. Toda nova tecnologia visa a melhora da qualidade de atendimento aos pacientes, mas demanda da classe médica um treinamento especializado e requer uma curva de aprendizado. Diversos modelos de simulação têm sido propostos para o treinamento da cirurgia robótica, incluindo modelos virtuais, inanimados e em animais. Todos têm suas vantagens e desvantagens. Os modelos em cadáveres e em animais vivos são os que mais se aproximam do cenário cirúrgico, mas, devido restrições éticas e financeiras, não são usados de forma sistemática.
OBJETIVO: Desenvolver e validar um modelo de simulação ex-vivo não sacrificado para o treinamento da cirurgia robótica.
MÉTODOS: Trata-se de um estudo observacional transversal que foi realizado no Instituto de Cirurgia Robótica Ciências Médicas – FELUMA em Belo Horizonte, Brasil. Foram recrutados um total de 12 participantes e divididos em dois grupos: três especialistas em cirurgia robótica e nove cirurgiões robóticos em treinamento. Foram realizados treinamentos de habilidades cirúrgicas robóticas, utilizando placentas humanas como modelos de simulação. Após concluírem os treinamentos, os especialistas preencheram um questionário destinado a avaliar as validades de face e de conteúdo do simulador biológico. A validade concorrente também foi testada ao compará-lo com o Mimic dV-Trainer®. Para a validade de constructo, os treinamentos foram filmados e avaliados por dois juízes que desconheciam os critérios de formação dos grupos. O tempo necessário para completar as tarefas também foi medido e comparado entre os grupos.
RESULTADOS: O modelo de placenta humana, ex-vivo não sacrificado, apresentou-se com validade de face, de conteúdo e concorrente. Os especialistas receberam pontuações mais altas e realizaram a tarefa em um tempo menor quando comparados com os novatos, o que caracteriza a diferenciação entre os grupos e a validade de constructo. A concordância entre os juízes foi evidente e o coeficiente de correlação de Pearson foi de 0,9973 com IC 95% entre 0,9901 e 0,9993, com p < 10-11.
CONCLUSÃO: Modelos de placentas humanas reproduzem condições anatômicas encontradas durante operações reais e podem ser utilizados na simulação de cirurgias robóticas. Esse modelo de simulação ex-vivo não sacrificado foi validado e favorece o treinamento da cirurgia robótica.

Palavras Chave ( separado por ; )

Simulação; Cirurgia robótica; Treinamento; Educação médica; Validação

Área

Transplante Renal / Miscelânea

Instituições

Instituto de Cirurgia Robótica Ciências Médicas (FELUMA) - Minas Gerais - Brasil, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) - Minas Gerais - Brasil

Autores

Marcelo Esteves Chaves Campos, Augusto Barbosa Reis, Marcelo Magaldi Oliveira Ribeiro, Flávio Bambirra Gonçalves, Lilian Bambirra Assis, José Eduardo Fernandes Távora