Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ESCALA ANALOGICA DE DOR EM PACIENTES SUBMETIDOS A BIOPSIA DE PROSTATA EM HOSPITAL UNIVERSITARIO

Resumo

Introdução
A biópsia é uma ferramenta imprescindível para investigação e diagnóstico do câncer de próstata. A maioria dos urologistas prefere realizar a biópsia trans-retal com agulha fina e com anestésico local. A técnica anestésica mais utilizada é a que segue os quadrantes onde são feitas as punções, porém, esta pode estar relacionada a maiores taxas de dor local. O presente trabalho visa contextualizar a técnica anestésica realizada entre as vesículas seminais e base prostática a fim de anestesiar o feixe nervoso em sua origem e analisar, em escala analógica, o perfil da dor dos pacientes submetidos à biópsia de próstata em hospital universitário.
Método
Os pacientes escolhidos para o estudo foram os submetidos à biópsia de próstata no período de março de 2018 até abril de 2019 no setor de bio-imagem do hospital universitário Professor Edgard Santos/UFBA, feitas por residente do 1º ano do serviço de Urologia acompanhado por um médico urologista . Em todos os pacientes foram aplicadas a mesma técnica anestésica, bloqueio periprostático em região peri-vesicular, sem sedação, com 10ml de lidocaína sem vasoconstritor. A primeira biópsia com 12 fragmentos e 18 fragmentos na re-biópsia. O critério utilizado para caracterização da dor foi a aplicação de escala visual analógica de dor (EVA) em todos os pacientes logo após o procedimento. Todos os dados foram armazenados em tabela junto com os resultados das biópsias posteriormente.
Resultados
Foram incluídos 103 paciente neste período. População com idade média de 64,4 anos (49-83). Os valores de PSA variaram entre <4ng/ml em 7,8%; 4-10 em 53,9%; 10-20 em 19,6%; 20-50 em 9,8%; 50-100 em 3,9% e >100 em 4,9%; 41,74%(43) dos pacientes tiveram biópsias positivas. Estadio clinico T1c predominou com 75%(78) das indicações, com 32%(25) das biópsia com CAp; >T2a representou 23,3%,(24) com 66,66%(16) das biópsias com CAp;
As notas de dor mais prevalentes foram nota 0 (47/45,63%), 1(13/12,6%), 2 (19/18,4%), assim a maioria (79/77,4%) referiu procedimento indolor e/ou dor leve (0-2) ; dor moderada 3-7, em 19/18,4% e dor intensa 8-10, em 4/3,9% pacientes.
Discussão
O perfil dos pacientes mais prevalente no presente estudo foi de queixas álgicas com baixo escore e assim a técnica anestésica mostrou-se eficiente no controle da dor durante o procedimento , e torna-se factível no ambiente do SUS com grande demanda pela sua rápida e fácil execução
Conclusão
A técnica anestésica proposta é uma técnica eficiente no controle álgico e factível no ambiente do SUS .

Palavras Chave ( separado por ; )

biopsia de prostata; analgesia; bloqueio periprostatico; EVA

Área

Uro-oncologia

Instituições

Hospital Universitário Professor Edgard Santos- HUPES/EBSERH - Bahia - Brasil

Autores

João Setúbal Andrade, Lucas Rosemberg Pellegrino Jorge Alencar, Bruno Falcão Santos , Felipe Silva Pereira, Rafael Prates Silva, Emanoel Nascimento Santos , Thiago Haguihara, Fabio Santos Beltrão, Lucas Teixeira Batista, Ubirajara Barroso Junior