Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

UROCULTURA POSITIVA E AS COMPLICAÇOES NO TRATAMENTO ENDOSCOPICO DA HIPERPLASIA PROSTATICA BENIGNA

Resumo

Introdução: A hiperplasia prostática benigna (HPB) representa uma das doenças mais frequentes do homem. É preconizado no pré-operatório da ressecção transuretral de próstata (RTUP) exames para avaliar se existem alterações infecciosas na urina. As complicações referentes a este procedimento são graves e mórbidas. Rotineiramente estudos são realizados para avaliar a taxa de complicações e as implicações da bacteremia nos sintomas do pós-operatório.
Objetivo: Correlacionar urocultura pré-operatória com índice de complicações no pós-operatório dos pacientes que foram submetidos ao tratamento cirúrgico de hiperplasia prostática benigna.
Método: Estudo retrospectivo, caso-controle, realizado entre de janeiro 2018 a outubro de 2018, no Hospital Regional de Jundiaí, neste período foram operados 176 paciente, por a falta de dados em prontuário 40 pacientes foram excluídos do trabalho. Os pacientes com urocultura negativa receberam antibiótico profilaxia padronizada pelo hospital e os pacientes com cultura positiva, profilaxia direcionada para o agente encontrado.
Resultados: Após analise de 136 pacientes, 111 pacientes (81,6%) apresentaram urocultura negativa e 25 (18,4%) apresentaram urocultura positiva. A Escherichia coli foi o agente mais prevalente, presente em 28% dos casos. A incidência de complicação na população de estudo foi 24%. Nos pacientes com urocultura negativa, 20 pacientes (18%) apresentaram algum tipo de complicação e com urocultura positiva 48% complicaram. O risco relativo para complicações foi de 2,66 e ODDS ratio de 4,2. A complicação mais comum foi ITU (16,9%) e apenas 1 caso de urosepse. O volume médio prostático nos paciente com cultura positiva foi de 66,84 (81-58) gramas, já os que não complicaram de 66,42 (81-54) gramas. Em paciente em uso de sonda vesical de demora pré-operatória, 80% possuíam cultura positiva, o risco relativo foi de 5,93 e ODDS ratio 25,65. A cultura também influenciou no tempo de permanência hospitalar 3,1 e 3,6 dias, cultura negativa e positiva, respectivamente.
Conclusão: A incidência de complicações pós-operatória mostrou-se maior no grupo com urocultura positiva no pré-operatório. A antibiótico profilaxia não preveniu a complicações em 18% dos pacientes com cultura negativa. Os pacientes com cultura positiva tem mais risco de complicação e permanecem mais tempo internados. O uso de sonda vesical de demora no pré-operatório tem alta relação com o resultado da urocultura positiva.

Palavras Chave ( separado por ; )

hiperplasia prostática; RTU; ressecção endoscópica de próstata; urocultura; ITU; sepse

Área

Infecção

Instituições

Faculdade de Medicina de Jundiaí - Sao Paulo - Brasil, IRSSL - Hospital Regional de Jundiaí - Sao Paulo - Brasil

Autores

Luiz Eduardo Caloete Ximenes, Allan MAMEDE Santos, Adriano Fregonesi, Anuar Ibrahim Mitre, THULIO BOSI VIEIRA BRANDÃO , CAIO BRAMBILLA