Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

CARACTERISTICAS DA INFECÇAO DO TRATO URINARIO EM PORTADORES DE BEXIGA NEUROGENICA NA NEURORREABILITAÇAO

Resumo

A infecção do trato urinário é a principal complicação relacionada com portadores de bexiga neurogênica. Neste estudo, com 195 pacientes com diagnóstico de bexiga neurogênica em atendimento urológico, analisou-se de forma descritiva, analítica e transversal, os aspectos sócios demográfico e a presença das principais alterações clínicas/laboratoriais apresentadas em um hospital de neurorreabilitação. Apresenta-se ainda uma análise estatística comparativa entre dois grupos de pacientes com bacteriúria assintomática e infecção. Nos pacientes avaliados, verificou-se que 82,6% eram portadores de bacteriúria assintomática e 17,4% eram sintomáticos. A ocorrência de acometimentos de bacteriúrias foi similar entre os dois gêneros. Houve distribuição por diferentes faixas etárias, com predomínio entre os adultos jovens (20 a 39 anos). A mediana do tempo de comprometimento vesical, em anos, foi de 8,9 (0 – 35). Apenas 16,4% dos pacientes deste estudo não faziam cateterismo vesical intermitente e o uso de fraldas foi observado em 74,4% dos mesmos. O intestino neurogênico foi evidenciado em 97,4% dos casos. A presença de litíase renal foi identificada em 11,3%. A principal patologia de base que levou ao comprometimento urológico foi o traumatismo raquimedular seguida por mielomeningocele, acidente vascular encefálico e neoplasias. As características clínicas identificadas nos portadores de infecção em ordem de freqüência: sintomas irritativos como aumento de perdas urinárias, disúria e febre. Laboratorialmente as principais alterações observadas foram: leucocitúria, nitrito positivo, hematúria e aumento de proteína C reativa. Houve comprometimento da função renal em sete casos com quatro quadros clínicos sistêmicos de maior gravidade. Dentre as características demográficas aqui avaliadas houve significância na comparação entre os pacientes que apresentavam histórias de infecções urinárias de repetição (bacteriúria assintomática 30% vs 53% infecção, p 0,006) e em pacientes que regularmente estavam seguindo as recomendações de cateterismo vesical intermitente . Recomenda-se cautela na avaliação da leucocitúria, pois alterações são freqüentes em ambos os grupos, no entanto, leucocitúrias ≤ 30 praticamente excluem infecções. A avaliação detalhada da combinação de sinais/sintomas com a presença de alterações laboratoriais é fundamental na definição do processo infeccioso.

Palavras Chave ( separado por ; )

bexiga neurogênica; infecção do trato urinário; bacteriúria assintomática

Área

Uroneurologia / Disfunção Miccionais / Urodinâmica

Instituições

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO MARANHÃO - UNICEUMA - Maranhao - Brasil, REDE SARAH DE HOSPITAIS DE REABILITAÇÃO - Maranhao - Brasil

Autores

FAUSTER OLIVEIRA BANDEIRA LOPES, MARCELLO TORRES SILVA, MARIA ROSA QUARESMA BOMFIM, SÍLVIO GOMES MONTEIRO, VIRGINIA MARIA LINHARES SANTOS PINHO, JOELMA LÚCIA NUNES ARAÚJO, ROBERTO MORAIS LUZ CARVALHO, Raimundo Jose Dourado Aires, VALÉRIO MONTEIRO NETO