Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANALISE DE 1651 BIOPSIAS TRANSRECTAL GUIADA POR ULTRASSONOGRAFIA EM RELAÇAO AS VARIAVEIS: IDADE; PSA; FRAGMENTOS COLETADOS; TIPOS HISTOLOGICOS E LOCAIS PROSTATICOS ACOMETIDOS.

Resumo

Introdução – O câncer de próstata é o segundo câncer mais prevalente na população masculina em todo o mundo1. O rastreamento é realizado com um exame digital retal (DRE) e o nível sérico de PSA2,3,4. Os pacientes com achados anormais nestes exames realizam biópsia prostática que podem variar na coleta de fragmentos e locais da próstata5. Método – análise de 1651 pacientes que realizaram biópsia transrectal guiada por ultrassonografia (TRUSBx) por indicações de alterações no EDR e PSA. As características dos pacientes analisadas foram: idade; PSA pré operatório; quantidade de fragmentos coletados; tipos histológicos e locais prostáticos acometidos. Resultados – A idade dos pacientes analisados variaram entre 12 até 100 anos, média de 67.64 anos e desvio-padrão de 8.73 anos. O PSA variou entre 0.07 até 5200 ng/ml, média de 62.51 ng/ml e desvio-padrão de 343.57 ng/ml. O número de fragmentos coletados variaram entre 6 até 28 fragmentos, média de 16.12 fragmentos e desvio-padrão de 3.61 fragmentos. Ao analisarmos o tipo histológico e o local biopsiado, evidenciamoos que na base direita 18.0% dos fragmentos foram tecido prostático habitual (TPh); 41.0% tecido prostático habitual alternado por focos de atrofia (TPHa); 25.3% adenocarcinoma acinar (ADn); 8.6% atrofia glandular prostática (AGP); 1.3% neoplasia intraepitelial prostática (NIp); 5.1% proliferação focal de pequenos ácinos atípicos (ASAp). No terço médio direito 13.9% dos fragmentos foram TPh; 47.0% TPHa; 26.2% ADn; 7.2% AGP; 0.9% NIp; 4.3% ASAp. No ápice direito 14.5% dos fragmentos foram TPh; 47.4% TPHa; 24.4% ADn; 6.5% AGP; 0.8% NIp; 5.0% ASAp. Na base esquerda 14.8% dos fragmentos foram TPh; 45.9% TPHa; 26.3% ADn; 6.9% AGP; 2.5% NIp; 2.9% ASAp. No terço médio esquerdo 11.8% dos fragmentos foram TPh; 49.5% TPHa; 27.6% ADn; 6.4% AGP; 0.7% NIp; 3.8% ASAp. No ápice esquerdo 15.4% dos fragmentos foram TPh; 46.0% TPHa; 25.6% ADn; 6.6% AGP; 0.5% NIp; 4.4% ASAp. Conclusão – Os dados evidenciaram que os locais da próstata apresentam prevalência para o adenocarcinoma relativamente iguais entre 24.4% até 27.6%. A atrofia glandular prostática apresenta maior prevalência na base (8.6%) e terço médio direito (7.2%). A neoplasia intraepitelial possui maior prevalência na base esquerda (2.5%).

Palavras Chave ( separado por ; )

Biópsia; Transrectal; Ultrassonografia; idade; PSA; fragmentos

Área

Uro-oncologia

Instituições

IHBDF - Distrito Federal - Brasil, UniCEUB - Distrito Federal - Brasil

Autores

Vinícius Carvalhêdo Cunha, Luiz Carlos de Araújo Souza, Hugo Oliveira de Figueiredo Cavalcanti, Sandra Lúcia Branco Mendes Coutinho, João Ricardo Alves, Grimar de Oliveira Paula