Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

PREDITORES DE SAUDE MENTAL E SEXUAL EM PACIENTES ATENDIDOS EM CLINICA DE ANDROLOGIA

Resumo

Introdução: Distúrbios de ansiedade, estresse e depressão são doenças comuns na sociedade contemporânea ocidental, altamente competitiva. O Urologista deve avaliar a saúde do homem de forma global, incluindo a saúde mental, tentando correlacionar com outras condições andrológicas como hipogonadismo, diminuição da libido ou disfunção erétil.
Objetivo: correlacionar hábitos, comorbidades, volume testicular e níveis séricos de testosterona com a saúde mental e sexual de homens submetidos à avaliação andrológica em clínica especializada.
Métodos: noventa e nove homens avaliados por uma ampla variedade de queixas andrológicas foram submetidos a consulta, exames laboratoriais, análise seminal, ultrassonografia Doppler de testículo e responderam os seguintes questionários: International Index of Erectile Function-5 (IIEF-5); IIEF-15; Montgomery-Asberg Depression Rating Scale (MADRS); Hamilton Anxiety Rating Scale (HARS); Quociente Sexual Masculino (QSM). Foi realizada regressão linear multivariada para identificar os preditores clínicos de resposta de acordo com os questionários. Considerou-se como significativo p<0,05.
Resultados: de acordo com IIEF-15, pacientes com Diabetes (p=0,032) e menores volumes testiculares (p=0,037) tiveram prejuízo na função erétil. Já segundo o IIEF-5, Diabetes (p=0,024) foi um preditor positivo de disfunção erétil, enquanto tabagismo mostrou tendência para associação com piora da função erétil (p=0,080). Os resultados do QSM não demonstraram preditores clínicos para saúde mental. De acordo com MADRS, pacientes com níveis séricos baixos de testosterona (p=0,040) apresentaram maior probabilidade de apresentar sintomas compatíveis com depressão. Idade avançada apresentou tendência de associação com tais sintomas (p=0,076). De acordo com HARS, diabetes (p=0,050) e sedentarismo (p=0,022) foram associados a maior probabilidade do paciente apresentar sintomas de ansiedade.
Conclusão: Diabetes é fortemente associada com disfunção erétil, assim como o volume testicular total é um preditor de prejuízo da função erétil. Níveis séricos baixos de testosterona, por sua vez, é o mais forte valor preditivo para depressão. Diabetes e sedentarismo são mais prováveis de apresentar sintomas de ansiedade.

Palavras Chave ( separado por ; )

Disfução erétil; Depressão; Ansiedade; Diabetes

Área

Disfunção Sexual

Instituições

Androscience - Sao Paulo - Brasil, Universidade de São Paulo - Sao Paulo - Brasil

Autores

João A B A Barbosa, Ivan Lopes Iori, Giovanna Milani, Mariana Kim Hsieh, Gustavo Aguiar Andrade, Thiago Afonso Teixeira, Elaine Maria Frade Costa, Jorge Hallak