Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANALISE COMPARATIVA ENTRE O ESTADIAMENTO DE CANCER DE PROSTATA POR IMAGEM (PI-RADS) E O ESCORE DE GLEASON

Resumo

RESUMO:

INTRODUÇÃO: O câncer de próstata é o câncer mais incidente na população masculina, excluindo-se o câncer de pele não-melanoma. Sua sobrevida está diretamente relacionada com a extensão do tumor no momento diagnóstico, dando-se cada vez mais importância aos métodos de avaliação destes. Entre eles, destacam-se o Escore de Gleason, baseado no padrão histológico, o método por Ressonância Magnética PI-RADS e a escala de graduação ISUP. Com eles, busca-se a habilidade de encontrar com acurácia lesões clinicamente significativas, verificar extensão da doença ao diagnóstico e caracterizar risco de progressão futura.
OBJETIVO: O seguinte estudo objetiva analisar a Ressonância Magnética na escala PI-RADS e relacionar a uma significância comparativa ao Escore de Gleason obtido no exame anatomopatológico.
Métodos: Estudo observacional retrospectivo com análise de prontuários de 64 pacientes diagnosticados com câncer de próstata do Hospital Nossa Senhora das Graças de Curitiba, admitidos entre 2014 e 2017. As variáveis analisadas foram: Escore de Gleason, PI-RADS, PSA e idade. Os seguintes pacientes foram divididos em grupos conforme a classificação PI-RADS e ISUP, realizando-se a comparação entre altos valores e baixos valores para cada exame.
Resultados: A idade média foi de 63,2 anos e a divisão dos pacientes se deu da seguinte maneira: 8 pacientes PI-RADS 2 ou 3, 56 pacientes PI-RADS 4 ou 5, 58 pacientes ISUP 1,2 ou 3 e 6 pacientes ISUP 4 ou 5. Correlacionando os dados observou-se um baixo Valor Preditivo Positivo (8,9%) do PI-RADS, em contrapartida, um alto Valor Preditivo Negativo (87,55%) do mesmo. Também se observou uma alta sensibilidade (83,33%) e uma baixa especificidade (12,1%) desse exame.
Conclusão: Pacientes com PI-RADS baixo, na maioria dos casos, estarão relacionados a um ISUP de baixo grau, e pacientes com PI-RADS elevado possuem 5,6% de chance de apresentar um ISUP de alto grau.

Palavras Chave ( separado por ; )

escore de gleason; cancer de prostata; pi-rads; isup

Área

Uro-oncologia

Instituições

Hospital Nossa Senhora das Graças - Parana - Brasil, Pontifícia Universidade Católica do Paraná - Parana - Brasil

Autores

Fernando Meyer, Fernanda Girardi, Guilherme Orlandini Abilas, Luciana Kim Nishimura, Conrado Sanson Tupich, Leandro Colita Castro