Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

DIURETICOS PIORAM SINTOMAS NOS PORTADORES DE HIPERPLASIA PROSTATICA?

Resumo

Introdução: Hiperplasia Prostática (HP) é uma doença comum, com aumento da incidência com a idade, assim como a Hipertensão Arterial (HA), sendo ambos presentes concomitantemente em 25% dos homens acima de 60 anos. Assim, é frequente a associação de HP e uso de diuréticos, utilizados para tratar HA. Sabe-se pouco sobre os possíveis efeitos dos diuréticos sobre os sintomas de HP, principalmente sobre sintomas de armazenamento (polaciúria, noctúria e urgência).
Objetivo: Verificar a influência dos diuréticos nos sintomas de HP.
Métodos: Realizado estudo transversal com revisão de prontuários de pacientes com HP atendidos em ambulatório de urologia de hospital universitário no período de março/2013 a novembro/2017. Coleta de dados com formulário padronizado com informações demográficas, IPSS (Escore Internacional de Sintomas Prostáticos), uso de medicações, comorbidades e parâmetros clínicos e laboratoriais. Digitação dupla dos dados no programa EpiData 3.1. Análise de dados realizada no programa Stata 11.2, utilizando teste estatístico ANOVA com Intervalo de Confiança de 95% (IC95%) e nível de significância estatística de 5%.
Resultados: Analisados 362 prontuários, com idade média de 65,5 anos. A prevalência de HA foi 46,1%, sendo que destes 45,5% utilizavam diuréticos. Os diuréticos mais utilizados foram tiazídicos (76,7%), de alça (20,9%) e espironolactona (2,4%). O IPSS médio foi 12,4, tendo sintomas leve, moderada e severa, respectivamente, 41,4%, 31,8% e 26,8%. Uso de diurético não estava associado a maiores valores de IPSS (p=0,528) nem a maior intensidade de sintomas armazenamento (p=0,160). A queixa de noctúria foi mais frequente entre os usuários de diuréticos (3,2% vs 2,7%,p=0,012), sendo a diferença mais significativa ao realizar ajuste para diabetes mellitus (3,4% vs 2,6%, p=0,002). Os níveis de IPSS foram maiores entre usuários de espironolactona (29,0) e diuréticos de alça (16,7) quando comparados aos tiazídicos (11,5) (p=0,005).
Conclusão: Diuréticos não aumentam significativamente o IPSS total nem os sintomas de armazenamento, porém a noctúria é significativamente mais intensa no grupo que utiliza diuréticos, e a diferença se acentua após ajuste de diabetes mellitus. Os níveis de IPSS foram maiores entre os que utilizavam Espironolactona ou Diuréticos de Alça quando comparado com o uso de Tiazídicos. É necessário maior cuidado, principalmente com o uso de furosemida, entre pacientes com hiperplasia de próstata que apresenta noctúria acentuada.

Palavras Chave ( separado por ; )

Hiperplasia de Próstata; Diurético; IPSS;

Área

Hiperplasia Prostática Benigna

Instituições

Universidade Federal do Rio Grande - FURG - Rio Grande do Sul - Brasil

Autores

Yuan Ting Hsu, Henri Luiz Morgan, Arthur Franzen Petry, Samuel Carvalho Dumith