Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

PROSTATECTOMIA ROBOTICA: AUXILIARES COM EXPERIENCIA EM LAPAROSCOPIA INFLUENCIAM OS RESULTADOS OPERATORIOS

Resumo

A cirurgia robô-assistida ganhou espaço no tratamento cirúrgico do câncer de próstata. A destreza do cirurgião está relacionada à curva de aprendizado, e o número de procedimentos realizados é um dos fatores que interfere nos resultados cirúrgicos. As equipes cirúrgicas contam com cirurgiões que se auxiliam.
O objetivo do estudo é avaliar se o desempenho e familiaridade do auxiliar na prostatectomia laparoscópica (PRL) pode alterar os resultados cirúrgicos da prostatectomia robótica (PRR).
Neste estudo retrospectivo foram avaliados os dados de 302 PRR realizadas no Hospital Quinta Dor por cirurgiões experientes auxiliados por cirurgiões com grande experiência em cirurgia robótica (Grupo 1), e outros que estavam na curva de aprendizado, porém possuíam experiência em cirurgia laparoscópica(Grupo 2). Foram comparados o tempo de console, o volume de sangramento e a presença de margens cirúrgicas positivas (MCP) radial, vesical e uretral entre os grupos. Os dados do sangramento e do tempo de console foram submetidos à análise estatística através do teste de Mann-Whitney e os dados referentes às margens cirúrgicas ao teste do qui-quadrado, considerando-se p-valor<0,05 como estatisticamente significativo.
O sangramento per-operatório no Grupo 1 foi de 340 ml ± 291,1 ml e o do Grupo 2 foi de 260,7 ± 168,9 ml, não tendo sido observadas diferenças significativas entre os grupos (p=0,4820). O mesmo aconteceu na avaliação do tempo de console (151 min ± 42,62 min vs 150 min ± 46,21 min, p=0,9892).
As MCP radial, vesical e uretral não apresentaram diferença estatística entre os grupos (p=0,7704, p=0,4559 e p=1,000, respectivamente).
Cimen et al demonstraram que o auxílio na PRR, quando feito por cirurgiões experientes, reduz o tempo de console (p=0,01) porém não o volume de sangramento (p=0,85).
Em nosso estudo não observamos o aumento do tempo de console relacionado à inexperiência do auxiliar em PRR. Este achado pode se dever ao fato de que os auxiliares do Grupo 2, apesar de não terem experiência na cirurgia robo-assistida, possuíam experiência em laparoscopia.
Avaliamos também as MCP dos espécimes extraídos e não observamos diferença entre os grupos, sugerindo que a dissecção das margens é inerente ao cirurgião, não ao auxiliar.
A integração entre os membros da equipe cirúrgica é um fator importante para o bom desenvolvimento da cirurgia. A experiência prévia em laparoscopia contribui para a destrezado cirurgião auxiliar na cirurgia robótica.

Palavras Chave ( separado por ; )

Prostatectomia radical robótica;prostatectomia radical laparoscópica;Tempo de console

Área

Uro-oncologia

Instituições

Hospital Quinta D'or - Rio de Janeiro - Brasil

Autores

Diego Coutinho Perdigão, Caio Matos Celjar, Thatiana Brasil, Rodrigo Frota, Marco Antônio Fortes, Alexander Dias, Victor Teixeira Dubeux, Bruno Marroig