Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANALISE DO PERFIL METABOLICO, SINTOMAS DO TRATO URINARIO INFERIOR E HIPERPLASIA PROSTATICA EM MILITARES DO EXERCITO BRASILEIRO

Resumo

Introdução: A síndrome metabólica (SM), a hiperplasia prostática benigna (HPB) e os sintomas do trato urinário inferior (LUTS) são condições frequentes no mundo todo. Parece haver uma relação muito íntima entre as afecções. Presume-se que a comunidade militar seja mais saudável pelos seus hábitos diários, o que pode impactar na prevalência destas condições, bem como no desempenho clínico.

Objetivos: Analisar o perfil metabólico e prevalência de HPB/LUTS em militares do Exército Brasileiro.

Material e Métodos: Foram analisados 55 voluntários a partir de 40 anos no Hospital Militar de Área de São Paulo (HMASP) para um estudo transversal que avaliou história clínica, exame físico, questionários (IPSS, OAB-V8 e IIEF-5), ultrassonografia transabdominal da próstata, urofluxometria e exames laboratoriais, com o objetivo de entender o perfil metabólico e ocorrência de HPB/LUTS nessa população específica.

Resultados: Nossa população tinha em média 51,25 anos (± 7,94), o IMC de 26,82 Kg/m² (± 4,26), 12,7% são tabagistas, 25,5% hipertensos, 12,72% diabéticos e 18,18% com síndrome metabólica. O IPSS médio dos pacientes é 9,14 (± 7,72), sendo o IPSS de armazenamento 4,34 (±3,57) e o de esvaziamento 4,83 (±5,03). 27 pacientes foram classificados como tendo LUTS leve (49,1%), 19 como moderado (34,5%) e 9 como severo (16,4%). O OAB-V8 médio foi de 11,05 ± 6,87 e o IIEF 5 de 19,89 ± 6,05. A circunferência abdominal média era de 95,85 cm (± 9,18) e o Qmax na fluxometria foi de 17,56 ml/s (± 8,60). Em relação aos parâmetros ultrassonográficos, o volume prostático médio foi de 32,52g (± 23,54) e índice de protrusão prostático de 4,61mm (± 4,02). Já em relação aos exames laboratoriais, tivemos PSA 1,24 ± 1,33, glicemia de jejum 93 ± 27,7, HbA1c 6,2% ± 4,74, colesterol total 186,49 ± 48,04, HDL 48,34 ± 12,72, LDL 120,07 ± 36,19, triglicerídeos 128,41 ± 55,94, testosterona total 379,80 ± 162,27, testosterona livre 10,72 ± 4,29 e vitamina D 24,71 ± 7,81.

Conclusão: Os dados apresentados revelam o perfil do militar brasileiro após os 40 anos de idade, aparentemente com performance similar à população geral. A continuidade deste estudo irá avaliar a correlação existente entre as características intrínsecas desses indivíduos com condições como LUTS/HPB, disfunção erétil e síndrome metabólica.

Palavras Chave ( separado por ; )

HPB; LUTS; Síndrome metabólica

Área

Hiperplasia Prostática Benigna

Instituições

Hospital Militar de Área de São Paulo - Sao Paulo - Brasil

Autores

Petronio Augusto de Souza Melo, Tiago Cyrillo Devitte, Rafael Tsutomu Martins Yadoya, Thainã de Oliveira Azambuja, Debora Lissoni Gambaroto, Magdiel Layson Torres Morais, Rodrigo Perrella, Vinicius Meneguette Gomes de Souza, Davi Souza Constantin, Ricardo Luis Vita Nunes