Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Uso de doses elevadas de oxibutinina intravesical no tratamento de bexiga neurogênica hiperativa, resultados, e efeitos adversos

Resumo

Introdução: Pacientes com Lesão medular (LM) apresentam geralmente hiperatividade detrusora com pressões elevadas e difícil controle, podendo levar a lesões renais.
Objetivo: Avaliar eficácia, resultados e efeitos colaterais, pós tratamento com oxibutinina intravesical com doses elevadas nestes pacientes.
Métodos: Avaliamos pacientes LM internados, entre 15 e 55 anos, bexiga neurogênica hiperativa, sem tratamento prévio. Excluídos aqueles com melhora com doses < 20 mg. Realizado ultrassom, urodinâmica antes do tratamento. Urodinâmica foi repetida semanalmente após cada aumento da dose e em 3 meses. Inicialmente usamos oxibutinina oral 20 mg/dia, aumentando naqueles sem resposta, para oxibutinina intravesical 40 mg/dia e 60 mg/dia. Reavaliados 3 meses, comparando os resultados, efeitos adversos, e manutenção do tratamento pelo paciente.
Resultados: Iniciaram o estudo 36 pacientes, 5 excluídos ( 2 por desinteresse, 1 infecção urinária, 1 reação alérgica, 1 disrreflexia autonomica). Participaram 31 pacientes, 10 com melhora após 20 mg (32%), 11 com 40 mg (35%). Dez pacientes usaram 60 mg, sendo 4 (12%) com boa resposta e 6 (21%) necessário mudança de tratamento, sendo toxina botulínica (BTX) em 5 (4 por falha e 1 por efeitos colaterais) e ampliação vesical em 1 devido baixa complacência vesical. No total utilizamos BTX para 8 pacientes sendo 4 falha do tratamento e 4 por efeitos colaterais (3 em uso de 40 mg). Comparando os grupos (20,40 e 60 mg) houve melhora dos parâmetros urodinâmicos em cada aumento da dose. Houve aumento da capacidade cistometrica máxima (CCM) (p<0,001) e volume reflexo (VR) (p<0,001), diminuição da hiperatividade detrusora máxima (HDM) (p=0,003). A complacência não apresentou melhora (p=0,884). Observado bom resultado em 79% dos pacientes sendo 32% (20mg), 35% (40mg) e 12% (60mg). Efeitos colaterais mais comuns foram xerostomia, sonolência, vertigens e visão turva. Houve diminuição da maioria dos efeitos colaterais apesar do aumento da dose intravesical. Após 3 meses observamos melhor tolerância de todos os efeitos colaterais com as mesmas doses.
Conclusão: Doses de oxibutinina intravesical > 20 mg foram efetivas com melhora da continência e dos parâmetros urodinâmicos (exceto complacência). Os efeitos colaterais diminuíram, apesar do aumento da dose da oxibutinina intravesical.

Palavras Chave ( separado por ; )

Lesão medular, bexiga neurogênica, oxibutinina intravesical, efeitos adversos

Área

Uroneurologia / Disfunção Miccionais / Urodinâmica

Instituições

Rede Sarah de Hospitais de Reabilitação - Minas Gerais - Brasil

Autores

RONALDO ALVARENGA ALVARES