Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

PERFURAÇAO DE COLON EXTRAPERITONEAL APOS NEFROLITOTRIPSIA PERCUTANEA – PASSO A PASSO DE UM TRATAMENTO CONSERVADOR.

Resumo

INTRODUÇÃO:
As complicações mais comuns da nefrolitotripsia percutânea (NLP) são sangramentos, hidrotorax, pneumotórax, hemotórax, lesões intestinais extra e intraperitoneais, sepse, lesões esplênicas, hepáticas, de pelve renal e absorção hídrica.¹
OBJETIVO:
Ilustrar a evolução de uma paciente após NLP que foi diagnosticada com lesão intestinal extraperitoneal e tratada de maneira não operatória (t com sucesso.
MÉTODO: descrição do caso, complicação e resolução.
Mulher, 46 anos com cálculo na pelve renal e outro no grupo calicinal inferior direito com dor em flanco direito há 6 meses, optado por NLP.
A cirurgia foi realizada em dois tempos: a primeira interrompida 3 horas após o inicio da cirurgia por sangramento. O segundo tempo foi tentado puncionar o mesmo orifício, porem devido à dificuldade técnica optado por novo sítio com sucesso “stone free”.
Após procedimento visualizado pneumoperitoneo no raio X, mas paciente com abdome indolor e flácido, optado por observação. Após 12 horas diurese de 1000ml e drenando, pela nefrostomia, 450ml, sem sinais de peritonite, porém, curativo de nefrostomia com saída de secreção entérica.
Optado por tomografia de abdome com contraste via venosa e oral - Trajeto de cânula de nefrostomia em região de polo inferior renal (adjacente a região cecal), gás subcutâneo em trajeto de cânula, gás livre intrabdominal (pneumoperitonio) e liquido em pequena quantidade em goteira parietocolica direita.
A lesão intestinal foi considerada extraperitoneal optando por antibioticoterapia, reposicionamento da sonda de nefrostomia no colon ascendente com escopia, manter cateter de duplo J e sonda vesical de demora e introduzir dieta liquida de alta absorção.
RESULTADO
Procedimento realizado com sucesso, a paciente evoluiu com diminuição do débito do dreno ao longo dos dias. Optado por trocar a sonda de foley por número menor e após três dias trocado novamente, sendo retirada no décimo dia, introduzido dieta geral com boa aceitação, observado por mais 2 dias e dado alta no décimo segundo pós operatório. Paciente segue sem queixas.
CONCLUSÃO
As complicações podem ocorrer em até 7% dos pacientes submetidos a NLP. As lesões intestinais após a realização de NLP são raras.^8. No nosso serviço essa foi a primeira em 23 anos. O tratamento com relocação da sonda de foley para a alça colonica, introdução de antibióticos, do duplo j e nutrição de alta absorção se mostrou eficaz assim como consta na literatura.

Palavras Chave ( separado por ; )

PERFURACAO COLON, NEFROLITROTRIPSIA, PERCUTANEA

Área

Litíase / Endourologia

Instituições

Hospital Ipiranga - Sao Paulo - Brasil

Autores

JOYCE FRANCISCO, LUIS GUSTAVO MORATO TOLEDO, EDUARDO DEDA MENDONÇA FILHO, JONATAS TEIXEIRA SANTOS, THIAGO LEMOS CURY, FERNANDO SILVA LUSTOSA, HIROYOSHI ADACHI, FELIPE PINHO ALBUQUERQUE SILVA, IGOR VALENTE COIMBRA, SANDRO NASSAR DE CASTRO CARDOSO