Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

PERFIL EPIDEMIOLOGICO E RELAÇAO ENTRE TABAGISMO E CARCINOMA RENAL DE CELULAS CLARAS NO SERVIÇO DE UROLOGIA DO HOSPITAL DAS CLINICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRAO PRETO-USP

Resumo

Introdução: Sabe-se que tabagismo figura dentre os principais fatores de risco para neoplasia renal, porém ainda com dados incertos e variáveis, com risco relativo geral em relação a não fumantes de 1.38 e efeito dose dependente. A cessação do tabagismo há mais de 10 anos reduziria risco em relação a interrupção recente(1).
Objetivos: Relacionar carga tabágica com grau de Fuhrman e estadio patológico T.
Métodos: Análise retrospectiva de 150 pacientes submetidos a nefrectomias oncológicas no serviço de Urologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto-USP, entre janeiro de 2016 e dezembro de 2018, sendo incluídos apenas pacientes com diagnóstico de células claras. Variáveis demográficas, relacionadas ao tumor e ao tabagismo foram observadas, sendo os pacientes divididos em 4 grupos: nunca fumaram, tabagistas ativos, cessaram há mais ou menos de 10 anos. A análise univariada foi realizada através de testes de correlação Spearm-Rho e teste chi-quadrado, com significância menor que 0,05. A análise multivariada foi realizada por regressão logística multimodal, com grau tumoral e estadio T.
Resultados: Foram incluídos 79 pacientes (52% do total); a idade média foi de 60,1 anos +-12,2 anos, sendo 53,2% (42) homens e 46.8% (37) mulheres.
A distribuição étnica foi: 84,8% (67) brancos, 6,3% (5) negros, 7,6% (6) mulatos e 1,3 %(1) outros. Desses pacientes, 46,8% (37) apresentavam antecedentes de tabagismo e destes, 29,7% (11) continuam como tabagistas ativos, com carga tabágica média de 35,5+- 22.2 maços/ano. 26 pararam de fumar, destes 16 há mais de 10 anos.
Distribuição quanto ao Fuhrman, de 1 a 4 respectivamente : 10,1% (8) , 67,1% (53), 16,5% (13) , 6.3% (5) ; Estadio T de 1 a 4 respectivamente : 62 % (49) , 11,4% (9), 25.3% (20), 1,3% (1).
Na análise univariada, não encontramos correlação entre Grau de Fuhrman estadio T e Tabagismo. Na análise multivariada, menores graus de Fuhrman e de estadiamento T correlacionaram-se ao tempo de interrupção do tabagismo maior que 10 anos (p=0,02).
Conclusões: Tabagismo é fator de risco conhecido, estando presente em 46% dos últimos pacientes operados. Em nossa amostragem, interrupção do tabagismo por mais de 10 anos esteve correlacionado a melhor grau de Fuhrman e menor estadio T, sinalizando caminho a seguir em pesquisas com maior número de participantes.

Palavras Chave ( separado por ; )

Tabagismo; Renal; Carcinoma; Células; Claras

Área

Uro-oncologia

Instituições

HCFMRP-USP - Sao Paulo - Brasil

Autores

Sergio Franca de Souza Filho, Antonio Antunes Rodrigues Jr, Rafael Neuppmann Feres, Alan Cantalabio Costa, Marcelo Pires de Campos Linardi, Wanderson Pereira de Andrade, Pedro Lugarinho Menezes, André Antonio Batista, Plinio Ramos Pinto Neto, Rodolfo Borges dos Reis