Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANALISE DA RESSONANCIA MAGNETICA, NOMOGRAMA DO MSKCC E RESULTADO ANATOMOPATOLOGICO DEFINITIVO DE PACIENTES DE ALTO RISCO COM PSA >= 20 SUBMETIDOS A PROSTATECTOMIA RADICAL.

Resumo

INTRODUÇÃO: A estratificação de risco em câncer de próstata permite escolher a melhor terapia para cada grupo de pacientes, sendo 15% classificados em alto risco. A Associação Europeia de Urologia (EAU), inclui como alto risco aqueles indivíduos com Antígeno prostático específico (PSA) > 20 ng/mL, escore de Gleason (EG) >7 e T2c (tumor envolvendo bilateralmente a próstata). A ressonância magnética (RNM) tem seu papel na avaliação pré-tratamento. O Memorial Sloan Kettering Cancer Center (MSKCC) fornece um nomograma para estimar a extensão do Câncer de próstata e seus resultados a longo prazo. O objetivo deste estudo é analisar os pacientes de alto risco com PSA > 20ng/ml, correlacionando o Nomagrama do MSKCC e a RNMmp com o resultado do estudo anatomopatológico (AP) pós prostatectomia radical (PTR). MÉTODO: Foram avaliados, retrospectivamente, 20 casos de pacientes submetidos a PTR com PSA >20ng/ml, num período de 3 anos em um Hospital Universitário. Foram analisados os critérios pré-operatórios da RNM (PIRADS; extensão extracapsular; invasão de vesícula seminal), nomograma pré-operatório do MSKCC correlacionado-os com o anatomopatológico da peça cirúrgica. Para a correlação entre as variáveis utilizou-se a Correlação de Pearson (CP). RESULTADOS: O EG das peças cirúrgicas foi correlacionado significativamente com todas as variáveis do MKSCC: MKSCC: órgão confinado, CP: -0,54 (p:0,01), ou seja, menor EG naqueles paciente com alta probabilidade de doença confinada a próstata; MKSCC: extensão extracapsular, CP: 0,56 (p:0,009); MKSCC: envolvimento linfonodal, CP: 0,7 (p 0,0005); MKSCC: invasão das vesículas seminais, CP: 0,67 (p 0,001). Portanto, o aumento na probabilidade de acometimento linfonodal, extensão extracapsular e invasão de vesículas seminais estimado pelo MKSCC mostraram relação significativa com o aumento no EG. Comparando as variáveis obtidas na RNM, houve relação estatisticamente significativa apenas para a avaliação do acometimento das vesículas seminais com CP: 0,53 (p:0,01). Quanto se comparou MKSCC e características do AP, apenas o envolvimento linfonodal e vesícula seminal tiveram correlação significativa com CP: 0,48 (p0,03) e 0,5 (p:0,02), respectivamente. CONCLUSÃO: Em pacientes com câncer de próstata com PSA > 20, a analise de risco do nomograma MSKCC mostrou-se acurada em todos os parâmetros comparados ao AP . Já a RNM somente a invasão de vesícula seminal teve correlação com o AP.

Palavras Chave ( separado por ; )

ADENOCARCINOMA D EPRÓSTATA; ALTO RISCO; PSA. 20; NOMOGRAMA MSKCC; RESSONÂNCIA; ANATOMOPATOLÓGICO

Área

Uro-oncologia

Instituições

COMPLEXO DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DA UFPR - Parana - Brasil

Autores

LYDIO BARBIER NETO, osny BARROS JÚNIOR, RODRIGO KETZER KREBS, ALEXANDRE CAVALHEIRO CAVALLI, DANIEL ELIAS CARARA, IVAM VARGAS MARTINS SILVA, JOAQUIM LORENZETTI ANDRADE, DANILO CASTRO NAGATO