Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANALISE DE CUSTOS DO TRATAMENTO DA INCONTINENCIA URINARIA POR ACESSO VAGINAL NO SISTEMA PUBLICO DE SAUDE BRASILEIRO.

Resumo

Objetivo
Avaliar os custos associados ao tratamento hospitalar da IU por acesso vaginal no sistema público de saúde brasileiro (SUS).
Métodos
Coletados dados epidemiológicos do SUS, obtidos por meio do DATASUS, no período de 2008 a 2018, em relação às internações e gastos para o tratamento da IU por acesso vaginal (número do procedimento - 0409070270). Como base populacional para comparação, foram usados os dados da projeção da população do Brasil a partir do IBGE - revisão 2018.
Resultados
Segundo dados do IBGE, a população do Brasil em 2018 foi projetada para 208.494.900 habitantes, sendo 106.523.727 (51,09%) mulheres. Setenta e um porcento da população utiliza exclusivamente o SUS, sendo que 60% representado pelas mulheres. No período de 2008 a 2018, segundo o DATASUS, houveram 64.269 internações para tratamento de IU, com uma redução de 6.558 para 5.545 internações ao ano, enquanto no mesmo período houve aumento no total de internações pelo SUS (10.743.603 versus 11.790.607). Assim, houve uma redução de 29% no número de internações, que passou de 0,066% em 2008 para 0,047% em 2018 (p <0,0001, OR = 1,31, IC 95% 1,2716 a 1,3656), considerando todas as internações pelo SUS. Nas internações por região, houve aumento de 41% no sudeste de 2008 a 2018 (35,6% vs 50,3%, respectivamente), em relação ao total de internações ao ano (p <0,001, OR = 0, 70, IC 95%: 0,6642 a 0,7572). No entanto, o maior índice de admissão por amostra (n) de mulheres foi na região centro-oeste em 2008 (12,81: 100,00). A média de internação para este tratamento foi de 2,1 dias (1,8 - 2,4 dias). As despesas no período foram de US $ 9.831.016,69, em média US $ 152,67 por hospitalização. Houve redução nos gastos ao ano de US $ 1.399.926,38 para US $ 600.583,45 entre 2008 e 2018, enquanto no mesmo período houve também uma redução nos gastos do SUS (5,3 bilhões versus 3,6 bilhões). Assim, proporcionalmente, houve redução de 38% nas despesas, de 0,026% em 2008 para 0,016% em 2018 (p <0,0001, OR = 1,61, IC 95% 1,5625 a 1,6599), considerando todos os gastos pelo SUS. A valorização do dólar em relação ao real no período, que variou de US $ 1,55 a US $ 4,11, foi considerada na análise. O índice de mortalidade foi de 0,01%, sendo registradas 5 mortes em 10 anos.
Observamos redução no número de internações e nos custos com o tratamento da IU ao longo dos anos no sistema público de saúde brasileiro.

Palavras Chave ( separado por ; )

incontinência urinária; tratamento; SUS; custo

Área

Uroneurologia / Disfunção Miccionais / Urodinâmica

Instituições

Faculdade de Medicina do ABC - Sao Paulo - Brasil

Autores

Antonio Flavio Rodrigues, Andre Luiz Farinha Tome , Camila Monteiro, Rafaela Lima Santos, Artur Farias, Caio Dal Moro, Caio Cesar Cintra, Maria Claudia Bicudo Furst