Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

HEMINEFRECTOMIA LAPAROSCOPICA EM PACIENTE COM CISTO COMPLEXO E ECTOPIA RENAL CRUZADA COM FUSAO

Resumo

Contextualização: Ectopia renal é uma das mais comuns anormalidades de desenvolvimento renal. Contudo, somente poucos casos de ectopia renal cruzada com fusão têm sido relatados na literatura. Ectopia renal cruzada, geralmente, é uma entidade clinicamente silenciosa, mas algumas vezes complica com infecção urinária de repetição e nefrolitíase e pode ser associada com uma alta incidência de obstrução da junção ureteropélvica, refluxo vesicoureteral e displasia renal multicística.

Objetivo: Neste vídeo, é apresentada uma heminefrectomia laparoscópica numa paciente com ectomia renal cruzada direita com fusão.

Materiais e métodos: Paciente do sexo feminino, 40 anos, com queixa de disúria há 2 meses, sem outras queixas. Realizado sumário de urina que identificou hematúria microscópica. Ultrassonografia do aparalho urinário mostrou presença de vários cistos em rim direito, onde o maior com 3,9x3,5cm e não visualizado rim esquerdo. Tomografia computadorizada com contraste mostrou ectopia renal cruzada com fusão à direita, destacando-se múltiplas imagens hipoatenuantes dispersas, a maior localizada em terço médio de pólo renal direito, heterogênea, de paredes espessadas, apresentando septações grosseiras com realce após contraste e componente de partes moles, medindo 7,7x6,1x5,0cm (Bosniak IV). Cintilografia DMSA mostrou função tubular relativa normal do rim direito e diminuída em grau discreto no rim esquerdo.
A paciente foi posicionada decúbito lateral esquerdo e a cavidade peritoneal foi acessada pela técnica aberta. Utilizaram-se dois trocartes de 11 mm e um de 5 mm. Após a realização da manobra de Matox, o ureter foi isolado e o pólo inferior foi dissecado até o pedículo renal. A artéria renal e a veia renal foram clampeadas com Hem-o-lokR e depois divididas. O istmo foi isolado e seccionado com grampeador vascular EchelonR. A peça operatória foi removida por incisão a Pfanneisteil e não foi deixado dreno cavitário.

Resultados: O tempo operatório foi de 130 minutos, sem complicações intra-operatórias. O sangramento foi desprezível. A paciente recebeu alta no oitavo dia pós-operatório. O estudo histopatológico mostrou nefroma cístico.

Conclusão: A heminefrectomia laparoscópica em ectopia renal cruzada com fusão é um procedimento pouco comum e devendo-se ter cuidado com alterações anatômicas de posição, rotação e vascularização. O uso do grampeador vascular é uma opção para a seção.

Palavras Chave ( separado por ; )

Laparoscopia; Ectopia renal cruzada; Heminefrectomia

Área

Uro-oncologia

Instituições

UFPE - Pernambuco - Brasil

Autores

Heron Oliveira Schots, Moacir Cavalcante de Albuquerque Neto, Thiago Siqueira Leite, Jose Weslley Silva Bezerra, Bruno Cesar Albuquerque dos Santos, Eugenio Soares Lustosa, Fabio de Oliveira Vilar, Salvador Vilar Correia Lima