Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

TAXAS DE GRAVIDEZ ENTRE ESTAGIO DE CLIVAGEM E ESTAGIO DE BLASTOCISTO: ESTUDO COMPARATIVO EM INJEÇÃO INTRA-CITOPLASMÁTICA DE ESPERMATOZOIDES.

Resumo

Introdução: A transferência de embriões após a fertilização in vitro (FIV) pode ser realizada no estágio de clivagem ou de blastocisto. Evidências sugerem não haver diferença de desfechos gestacionais entre um estágio e outro. Temos como hipótese de que tais achados podem variar conforme a idade das mulheres. Objetivos: Comparar desfechos gestacionais entre transferências de embriões em estágio de clivagem versus de blastocisto, em mulheres com mais de 38 anos. Métodos: Estudo retrospectivo de caso-controle, realizado em um centro de reprodução assistida do sul do Brasil. Foram incluídos total de 675 transferências de embriões frescos, entre 2017 e 2018. A amostra foi dividida em grupos: 1) embriões clivados (n = 219) e 2) blastocistos (n = 456). Gravidez e taxa de gravidez clínica foram analisadas de acordo com a idade materna e o número de embriões transferidos. Variáveis categóricas foram expressas como porcentagem e comparadas através do teste do qui-quadrado, considerando p <0,05. Resultados: Ao comprar o grupo 1 e 2 observamos: Idade materna (38,4 ± 4,1 vs. 36,2 ± 4,2, p<0,001); Média de embriões transferidos, por transferência (1,74 ± 0,72 vs. 1,72 ± 0,59, p=0,66); Taxa de gestação (por ciclo) (32,0% vs. 45,8%, p<0,001) e Taxa de gestação clinica (por ciclo) (26,0% vs. 38,8%, p<0,001). Análise do número de embriões transferidos: embrião único apresentou taxa de gravidez de 28,4% vs. 50,0%, p=0,001 e gravidez clínica de 22,7% vs. 41,7%, p = 0,003. Por idade (<38 vs. ≥ 38 anos). Em mulheres ≥ 38 anos: taxa de gravidez (clivagem vs. blastocisto) 17,9% vs. 38,5%, p=0,02; gravidez clínica: 14,3% vs. 35,9%, p=0,01. Quando dois embriões foram transferidos, encontramos taxa de gravidez (clivagem vs. blastocisto) 25,8% vs. 36,2%, p=0,18 e gravidez clínica (clivagem vs. blastocisto) 24,1% vs. 29,5%, p=0,46. Conclusões: A transferência de blastocistos parece aumentar a taxa de gravidez em comparação com a de embrião em estágio de clivagem, em pacientes com mais de 38 anos. Os dados sugerem que, se uma paciente ≥ 38 anos apresentar apenas embriões em D3, seria interessante transferir dois embriões. No entanto, se existir apenas embriões em D5, um único embrião pode ser transferido, já que as taxas de gravidez não parecem melhorar e o risco de gêmeos poderia aumentar.

Palavras Chave ( separado por ; )

Embriões frescos; Estágio embrionário; Gravidez clínica.

Área

Infertilidade

Instituições

Fertilitat - Centro de Medicina Reprodutiva - Rio Grande do Sul - Brasil

Autores

Ricardo Azambuja, Marta Ribeiro Hentschke, Talita Colombo, Lilian Okada, Alice Tagliani Ribeiro, Bibiana Cunegatto, Claudio Telöken, Alvaro Petracco, Mariangela Badalotti