Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

VALIDAÇAO INDEPENDENTE DE UM NOMOGRAMA PREDITOR DO RISCO DE REINFECÇAO EM MULHERES COM INFECÇAO URINARIA NAO COMPLICADA RECORRENTE

Resumo

Introdução: Apesar da Infecção urinária (ITU) não complicada em mulheres ser muito frequente, com alto custo para a saúde pública, elevada morbidade e significativo impacto na qualidade de vida, existem poucos parâmetros para predizer seu risco de recorrência.
Objetivo: Validar o nomograma LUTIRE para predizer o risco de reinfecção em uma população feminina brasileira, com história de ITU não complicada recorrente.
Métodos: Estudo retrospectivo longitudinal para validação do nomograma LUTIRE (Lower Urinary Tract Infection Recurrence Risk). Aplicou-se o nomograma em 81 mulheres com idade entre 18 e 65 anos, triadas de uma clínica urológica particular e que apresentaram quadro de ITU recorrente não complicada. Pela revisão do arquivo clínico digital, as pacientes tiveram suas probabilidades de recorrência calculados no nomograma. Obteve-se as variáveis através das informações dos últimos 12 meses anteriores ao estudo. A partir da inclusão e estabelecimento da probabilidade preditiva de recorrência, os históricos das pacientes foram acompanhados por um ano quando assintomáticas, (desfecho: a ausência de reinfecção); ou até a recorrência (desfecho). O desfecho foi comparado à probabilidade originalmente estabelecida no nomograma e a acurácia do instrumento foi calculada. As variáveis contínuas foram estudas pelo Teste de Mann-Whitney U e pelo teste T; as variáveis qualitativas pelo Teste do Qui-quadrado. Posteriormente, as seis variáveis do nomograma foram incluídas em um modelo de regressão logística e o tempo para recorrência foi avaliado por curva de Kaplan-Meier. Uma curva ROC (Receiver Operator Characteristic) foi construída para demonstrar graficamente as sensibilidades e especificidades das diferentes probabilidades de recorrência de infecção urinária calculadas pelo nomograma. Assim determinou-se o melhor ponto de corte e a área sob a curva ROC (ASC) com sua respectiva acurácia.
Resultados: A média da idade das pacientes foi 42,8 anos. Cinquenta e sete mulheres (70,37%) apresentaram recorrência. As variáveis independentes com significância estatística na análise univariada e multivariada foram bactéria gram negativa, (OR 18,38; p= 0,03897) e número de ITU nos últimos 12 meses (OR 25,11; p= 0,00006). A acurácia do nomograma foi de 82,6% (IC 95% = 72,5-90,1).
Conclusão: O nomograma LUTIRE apresentou uma boa acurácia entre as mulheres de uma população brasileira.

Palavras Chave ( separado por ; )

nomograma ; estudos de validação; recidiva; infecções urinárias; prognóstico

Área

Urologia Feminina

Instituições

UEL - Parana - Brasil

Autores

MARCELO GONZALES Favoreto, Silvio Henrique Almeida, Emerson Pereira Gregório