Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ESTUDO RETROSPECTIVO DE PROSTATECTOMIAS RADICAIS E SUAS COMPLICAÇOES EM UMA INSTITUIÇAO DE REFERENCIA ENTRE OS ANOS DE 2012 E 2017

Resumo

INTRODUÇAO
O CaP é o 2º câncer mais diagnosticado em homens, com 1,1 milhão de diagnósticos em 2012. O objetivo da prostatectomia radical (PR) é erradicação do CaP, sempre que possível, diminuindo as morbidades no PO. Diversas complicações PO são relatadas, estas variando conforme a experiência do cirurgião, do grau avançado do tumor, da técnica cirúrgica utilizada, entre outros.


OBJETIVO
Realizar o levantamento, através de dados de prontuários, das PR realizadas em nosso serviço, e definir características pré-OP e intra-OP que podem ser influenciadoras nas complicações PO.

METODOLOGIA
Estudo descritivo, retrospectivo, de pacientes com CaP operados no Instituto Mário Penna de 2012 a 2017 de um só preceptor. Analisados dados referentes ao intra-op (tempo de cirurgia, preservação do feixe, complicações intra-op) e do PO (fistula urinaria, estádio PO, continência, potencia, necessidades de outros tratamentos urológicos).

RESULTADOS
Em 2017 foram realizadas 2.321 cirurgias urológicas; 1.002 PR. Os dados de 199 pacientes foram estudados.
141 (71,9%) pacientes preservaram a continência urinaria no PO. Destes, no intra-op, 53,8% foi realizada preservação do feixe vasculonervoso, sendo o restante (46,2%) sem preservação.
56 (28,1%) pacientes evoluíram com algum grau de IU. Destes, no intra-op, em 25% houve preservação do feixe e 75% sem preservação.
Em relação à disfunção erétil, 29,7% (59 pacientes) não apresentaram DE no PO. 70,3% (138 pacientes) evoluíram com algum grau de DE. Nestes, não observamos preservação do feixe em 54,2%.
145 pacientes (84,3%) evoluíram com algum grau de fistula urinaria. Destes, observou-se que 65% apresentaram estádio histopatológico avançado (≥pT3).
Outras complicações PO: 19% (38 pacientes) necessitaram de algum outro tratamento cirúrgico urológico no PO, a maioria RTU de colo vesical ou UI.
22% dos pacientes necessitaram de algum tratamento de resgate (RxT somente, oncológico somente ou combinado).

CONCLUSOES
O CaP permanece como um grande problema de saúde publica mundial. A PR permanece com um dos alicerces do tratamento para estes pacientes. Diversos fatores pré-OP e intra-OP determinam possíveis complicações na evolução destes pacientes. Acesso às novas técnicas cirúrgicas, a expertise do cirurgião e grau da doença podem influenciar o controle da doença e a qualidade de vida dos pacientes operados no PO.

Palavras Chave ( separado por ; )

Prostatectomia radical, câncer de próstata, complicações pós-operatórias

Área

Uro-oncologia

Instituições

Instituto Mário Penna - Minas Gerais - Brasil

Autores

Antônio de Carvalho Júnior, Alexandre Carvalho de Menezes, Wadson Gomes Miconi, Rodrigo Guimarães Corradi, Leonardo Soares Marques, Diego Silveira Rodrigues, Tarcisio Andrade de Souza, Marcelo Cançado Frois, Bruno Petrocchi Vieira de Menezes