Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

RESULTADO DO ESTUDO URODINAMICO EM MULHERES COM SINTOMAS DO TRATO URINARIO INFERIOR (LUTS).

Resumo

INTRODUÇÃO: Entre as disfunções miccionais, a incontinência urinária (IU) é o LUTS mais frequente em mulheres. Esse distúrbio classifica-se de acordo com o aparecimento no ciclo miccional e conforme a fisiopatologia. Seu diagnóstico costuma ser clínico, mas apresenta correlação reduzida entre sintomas e fisiopatologia. Desse modo, a avaliação urodinâmica (UDN) pode ser útil no diagnóstico. Esse método permite identificar e classificar as distintas formas de disfunções miccionais através da análise do comportamento vesico-uretral durante as fases do ciclo miccional.
OBJETIVO: Analisar e descrever os resultados urodinâmicos em mulheres com queixa de LUTS.
MÉTODOS: Realizou-se revisão retrospectiva da cistometria de enchimento das UDN em mulheres com LUTS no Serviço de Urologia de um hospital escola entre 2010/2013. Excluídos: homens, menores de 18 anos e doença neurológica. Análise estatística com SPSS v.20.0.0.
RESULTADOS: Foram revisados 500 exames em pacientes com idade média de 56 anos. Dessas, 444 (88%) tinham queixas de armazenamento. Quando a queixa principal era IU de esforço (IUE) - 163 pacientes – 44% mostraram diagnóstico isolado, 5% IU de urgência (IUU), 41% componente misto (IUM) e 9% outras disfunções na UDN. Quando o LUTS predominante relatado foi IUU – 99 pacientes – em 46% confirmou-se o diagnóstico. Porém 20% mostraram IUM, 7% IUE e 26% demais alterações. Entre as 149 mulheres com IUM como distúrbio preponderante, 48% confirmaram. Entretanto, em 26% e em 12% dessas identificou-se IUE e IUU isolados, respectivamente. Em 97% das pacientes com IUU confirmou-se hiperatividade detrusora (HD) e a Pdet mediana de perda foi 27 cmH20. Nas mulheres com IUE, HD foi confirmada em 15% e a Pabd mediana de perda foi 104 cmH20, significativamente maior em relação à encontrada nas mulheres com IUM (77 cmH2O). Além disso, 31% dos sintomas de esvaziamento demonstraram parâmetros UDN de armazenamento. No geral, 11% das pacientes com queixa principal de IU revelaram UDN normal.
CONCLUSÕES: Embora a UDN seja útil na identificação da fisiopatologia das diferentes disfunções do trato urinário inferior sua utilização no pré-operatório de pacientes com IUE é discutível. Mesmo com boa correlação clinica/urodinâmica para as pacientes com IUE, 56% demostraram outras disfunções UDN associadas. O seguimento desse estudo, com novas análises do banco de dados, permite aprimorar as correlações entre LUTS e distintos diagnósticos urodinâmicos.

Palavras Chave ( separado por ; )

Incontinência urinária; Urodinâmica; Disfunção miccional

Área

Uroneurologia / Disfunção Miccionais / Urodinâmica

Instituições

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Rio Grande do Sul - Brasil

Autores

Giullia Garibaldi Bertoncello, Artur Gehres Trapp, Vania Naomi Hirakata, Franscine Gerson Carvalho, Jorge Antônio Pastro Noronha, Andrei Cardoso Centeno