Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

PERFIL EPIDEMIOLOGICO DOS PACIENTES INTERNADOS POR CANCER DE PROSTATA NO ESTADO DA PARAIBA

Resumo

Introdução: O câncer de próstata (CAP) é o 2º mais comum entre homens. No Brasil, entre 2008 e 2018, foram internados 283.680 pacientes pela doença, cujo perfil epidemiológico predominante apresentou-se como idosos, entre 60 e 79 anos (70,04%), de etnia branca (38,81%) ou parda (33,22%). Por ser bastante prevalente, se não adequadamente tratado, tem elevada taxa de morbimortalidade. Objetivos: Analisar a morbidade hospitalar por CAP no estado da Paraíba entre os anos de 2008 e 2018 e descrever o perfil epidemiológico dos internamentos quanto a etnia e a faixa etária, comparando-o com o da região Nordeste. Métodos: Estudo epidemiológico retrospectivo descritivo, através de dados referentes ao número de internações por câncer de próstata no período de 2008 a 2018, obtidos através Sistema de Informações Hospitalares do SUS. Resultados: O Estado da Paraíba, no período de 2008 a 2018, apresentou uma média de 361 internações por CAP ao ano, correspondendo a um total de 3.971 internações. Analisando a etnia, tem-se que 62,15% são pardos; 13,95% são brancos; 3,97% são pretos; 0,45% são amarelos; 0,02% são indígenas e 19,44% não possuem etnia informada. Quanto à faixa etária, 0,22% dos pacientes internados tinham até 39 anos; 1,81% entre 40 e 49 anos; 12,74% entre 50 e 59 anos; 35,91% entre 60 e 69 anos; 34,95% entre 70 e 79 anos; 14,35% a partir dos 80 anos. Na região Nordeste, temos os seguintes dados predominantes: 59,39% são pardos; e 71,15% têm entre 60 e 79 anos. Conclusões: Com base no estudo e na coleta de dados, tem-se que o perfil epidemiológico dos pacientes internados por CAP, no estado da Paraíba, entre 2008 e 2018, corresponde, em sua maioria, a idosos com faixa etária acima de 60 anos e da etnia parda. Comparando esses dados aos da região Nordeste, percebem-se semelhanças que se estendem aos demais estados e refletem sua maior miscigenação, diferentemente do perfil brasileiro em que brancos prevalecem. Desse modo, as políticas públicas de rastreamento e detecção precoce precisam ser orientadas, prioritariamente, conforme o perfil populacional observado.

Palavras Chave ( separado por ; )

câncer de próstata; perfil epidemiológico; estado da Paraíba

Área

Uro-oncologia

Instituições

Centro Universitário de João Pessoa (UNIPÊ) - Paraiba - Brasil, Universidade Federal da Paraíba (UFPB) - Paraiba - Brasil

Autores

Marina Guimarães Ferreira, Matheus Pereira Fernandes, Sabrina de Figueiredo Ramalho, Arlindo Monteiro de Carvalho Junior