Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

USO DE ANALGESICOS NA GESTAÇAO E AVALIAÇAO DE MEDIDAS GENITAIS EM RECEM-NASCIDOS

Resumo

Analgésicos como paracetamol, dipirona, ibuprofeno, diclofenaco e ácido acetilsalicílico (AAS) são muito utilizados pela população, incluindo as gestantes, e relacionados a efeitos adversos como toxicidade reprodutiva e desregulação endócrina. Nesse contexto, o estudo Curitibano de Investigação do Ambiente e Reprodução (CUIDAR), um estudo coorte gestacional, foi delineado para avaliar a exposição gestacional a essas drogas e a outros desreguladores endócrinos e suas consequências materno-infantis. O CUIDAR recruta desde março de 2018 gestantes no início da gestação (<16 semanas) em Unidades Básicas de Saúde de Curitiba-PR. São realizados três questionários e coletadas três amostras de urina de cada gestante ao longo da gestação. São identificados aspectos sociodemográficos, hábitos de vida, dieta, uso de produtos plásticos e cosméticos. O uso de medicamentos é investigado quinzenalmente. Os bebês têm avaliadas medidas genitais associadas a desregulação endócrina: distância anogenital (AGD) e largura do pênis (LP). A AGD é uma medida sexualmente dimórfica, maior em meninos e que, juntamente com a LP, tem sido utilizada como marcador anatômico não invasivo de exposição androgênica pré-natal. Até início de maio de 2019, 47 pares de mães e bebês foram avaliados. A idade média das mães (n=47) foi 27,83±5,95 anos, maioria branca (57,44%), em relação estável com o companheiro (63,82%) e com renda familiar mensal de um a três salários mínimos (38,3%). O analgésico mais utilizado ao menos uma vez no primeiro trimestre foi o paracetamol (55,32%), seguido pelo ibuprofeno (17,02%), dipirona (10,64%) e diclofenaco (2,13%). O AAS não foi usado até o presente momento. Nasceram 25 meninos e 22 meninas, com idade gestacional média no parto de 39,21 semanas e peso médio de 3,22Kg. Para análise da AGD e LP, a média de cada parâmetro (3 aferições) foi dividida pela raiz cúbica do peso corporal. Observamos diferenças estatísticas significativas entre a AGD de meninos e meninas, confirmando o dimorfismo entre esses marcadores. A análise da associação entre uso de analgésicos e as medidas genitais foi feita só para o paracetamol, pois poucas gestantes até agora usaram outros analgésicos. Não houve diferença entre AGD e LP quando comparamos bebês de gestantes usuárias e não usuárias de paracetamol. Nossos dados indicam amplo uso de analgésicos na gestação, em especial o paracetamol, e a ampliação do tamanho amostral com a continuidade do estudo permitirá melhor análise dos dados.

Palavras Chave ( separado por ; )

Disruptores Endócrinos; Gravidez; Analgésicos

Área

Ciência Básica

Instituições

Universidade Federal do Parana - Departamento de Farmacologia - Parana - Brasil, Universidade Federal do Parana - Departamento de Fisiologia - Parana - Brasil

Autores

Mariana Regina Rompkovski, Amanda Atuati Maltoni, Vitória Aline Santana Rios, Marcella Tapias Passoni Pereira da Silva, Daniele Cristine Krebs Ribeiro, Juliana Machado Franco, Bianca Manfroi da Silva, Carla Giovana Basso, Sara Emilia Lima Tolouei, Anderson Joel Martino Andrade