Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

FATORES CLINICOS PRE-OPERATORIOS PREDITIVOS DE HISTOLOGIA BENIGNA EM ADULTOS JOVENS COM IMAGEM SUSPEITA PARA TUMOR RENAL

Resumo

RESUMO: O pico de incidência dos tumores renais é na sexta década de vida, sendo menos comum sua ocorrência em adultos jovens. Estima-se que 15% das massas renais são benignas. Até o momento, frente à uma imagem suspeita, a conduta padrão é a ressecção cirúrgica e fatores clínicos pré-operatórios capazes de diferenciar entre patologia benigna ou maligna não são conhecidos.
OBJETIVOS: Identificar fatores clínicos pré-operatórios associados à patologia benigna no produto de nefrectomias de pacientes adultos jovens com imagem suspeita.
MÉTODOS: Estudo retrospectivo com revisão de prontuário de 1418 pacientes submetidos à nefrectomia entre 2006 – 2017 que apresentavam massa renal suspeita. Pacientes que apresentavam imagem sugestiva para tumores benignos ou que inicialmente já eram metastáticos foram excluídos. Foram selecionados 415 pacientes que apresentavam idade igual ou menor que 55 anos para análise. Os seguintes parâmetros clínicos pré-operatórios foram analisados através da regressão multivariada de Cox: idade, sexo, tamanho tumoral, raça, escore de Charlson, histórico familiar, sintomas, lateralidade, índice de massa corpórea (IMC), parâmetros laboratoriais e comorbidades.
RESULTS: Dos 415 pacientes incluídos, 357 (86%) apresentaram patologia maligna e 58 (14%) benigna. A idade mediana encontrada foi de 49 anos (IQR 41 – 53) e o tamanho tumoral mediano pela imagem pré-operatória por tomografia ou ressonância foi de 5,7cm (IQR 3,6 – 9). Através da análise univariada houve maior tendência de patologia benigna em pacientes do sexo feminino (69% vs 31%, p<0,001), mais jovens ao diagnóstico (41 vs 48 anos, p<0,001), com menor escore de Charlon (0 vs >1; p<0,001), de menor IMC (26 vs 28; p<0,001) e que não apresentavam hematúria (p = 0,02). Na análise multivariada, sexo feminino, pacientes mais jovens (<40) e de menor IMC foram preditores independentes de patologia benigna. Ainda, no sexo feminino e com menos de 40 anos a chance de um achado benigno chegou até a 35%, enquanto tamanho tumoral não teve influência nesse subgrupo.
CONCLUSÕES: Sexo feminino, idade jovem e baixo IMC foram associados a maior chance de patologia benigna. Diferentemente que em adultos mais velhos, volume tumoral não teve impacto em predizer malignidade na faixa de adultos jovens. Esforços diagnósticos adicionais devem ser feitos especialmente para mulheres com menos de 40 anos para melhor selecionar as pacientes para terapia cirúrgica.

Palavras Chave ( separado por ; )

neoplasia renal; nefrectomia; prognóstico

Área

Uro-oncologia

Instituições

ICESP - Sao Paulo - Brasil

Autores

Pablo Sierra, Gilberto José Rodrigues, Maurício Cordeiro, Emanuel Albuquerque, Álvaro Sarkis, Alexandre Cavalcante, Fábio Galucci, Rafael F. Coelho, Paulo Carvalho, William C. Nahas