Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

O PAPEL DO DIAMETRO TRANSVERSO DO RETO NA DISFUNÇAO DO TRATO URINARIO INFERIOR E NA CONSTIPAÇAO FUNCIONAL EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES.

Resumo

Introdução: Diversos estudos já comprovaram a relação entre disfunção do trato urinário inferior (DTUI) e constipação funcional (CF), sendo a medida ultrassonográfica do diâmetro retal (DR) considerada por alguns autores como indicativo de CF.
Objetivo: Analisar a associação entre DR e DTUI, observando sua relação com a presença e intensidade desses sintomas e com medidas ultrassonográficas (capacidade vesical média, resíduo pós-miccional, volume urinado e espessura da parede vesical), bem com a CF.
Métodos: Estudo transversal realizado em ambulatório de urologia pediátrica entre janeiro de 2017 a janeiro de 2019. Utilizou-se o Dysfunctional Voiding Score System (DVSS) e os Critérios de Roma IV para avaliação dos sintomas urinários e da CF, respectivamente. O DR foi medido por ultrassonografia pélvica (USGp), tendo cada paciente sido submetido a duas mensurações. Foi considerado reto aumentado quando DR maior ou igual a 3cm.
Resultados: Foram estudados 101 pacientes com média de idade de 9,0 ± 3,26 anos, sendo 54 (55,1%) do sexo feminino. A CF foi observada em 63 (64,3%) crianças. Em relação aos sintomas urinários, 77 (77,8%) apresentavam enurese, 40 (40,8) polaciúria, 22 (21,8%) noctúria, 73 (74,5%) incontinência urinária diurna e 84 (85,7%) urgência. Foi observado DTUI em 82 (83,7%) crianças, estando associada a CF em 58 (57,4%). A mediana do DVSS foi de 11 (QI 8-15) e o DR médio foi de 3,06 ± 0,9 cm. A capacidade vesical, o resíduo pós-miccional, espessura da parede vesical e o volume urinado apresentaram medianas de 178,6 cm3 (IIQ 115-282,2), 10,5 cm3 (IIQ 3,1-20,2), 2,4mm (IIQ 2,1-2,6), 215 ml (140-302,5), respectivamente. O DR aumentado ocorreu em 50 pacientes. Não houve associação entre reto aumentado e CF (69,4% X 58,3%, p=0,26), ou DTUI (81,6% X 85,4%, p=0,62) nem entre medida do DR e a presença de DTUI associada a CF (58% X 57,1%, p=0,93). Não houve associação entre o DR e a presença de: urgência (p = 0,71), enurese (p = 0,93), polaciúria (p = 0,98), noctúria (p = 0,26), incontinência diurna (p=0,33), CF (p = 0,40), DTUI (p=0,84) e DTUI associada a CF (p=0,93. Não houve correlação entre DR e o DVSS (p = 0,57), capacidade vesical (p = 0,26), resíduo pós-miccional (p = 0,22), espessura da parede vesical (p = 0,99) e volume urinado (p = 0,52).
Conclusão: Na nossa experiência, o diâmetro retal não se associa a CF e intensidade dos sintomas urinários, não sendo, portanto, um exame de valor clínico em pacientes com constipação e/ou DTUI.

Palavras Chave ( separado por ; )

Diâmetro retal; constipação funcional; DTUI

Área

Urologia Pediátrica

Instituições

Centro de Distúrbios Miccionais na Infância - Bahia - Brasil, Escola Bahiana de MEdicina e Saúde Pública - Bahia - Brasil

Autores

Leonardo Azevedo Souza, Glicia Estevam Abreu, Eneida Regis Dourado, Ana Paula Dias Schimitz, Ananda Nacif Nunes, Ubiraraja Barroso Júnior