Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

NEFRECTOMIA PARCIAL LAPAROSCOPICA SEM ISQUEMIA PARA TUMOR HILAR T1-B - DISSECÇAO SUPER SELETIVA

Resumo

Introdução: O carcinoma de células renais corresponde a aproximadamente 3% dos tumores malignos em todo o mundo com uma prevalência maior entre homens. A nefrectomia parcial é padrão ouro para tratamento dos carcinomas de células renais até 7 cm (T1b), com mesmos resultados oncológicos da nefrectomia radical, além de benefícios quanto a preservação de função renal e diminuição de eventos cardiovasculares. A isquemia quente durante o procedimento é bastante discutida na literatura, que busca cada vez diminuir seu tempo ou até mesmo evitá-la (zero isquemia). Neste intuito diversas técnicas são desenvolvidas, seja com novas energias ou com melhor entendimento da anatomia vascular renal. Objetivos: Apresentamos neste trabalho um caso tumor renal hilar direito, de 4,4 cm, com nefrometria RENAL desfavorável 10X, tratado com nefrectomia parcial laparoscópica sem isquemia, por microdissecção vascular. Métodos: Paciente sexo masculino, 33 anos, com histórico de dor em flanco esquerdo há 3 meses. USG detectou uma lesão sólida heterogênea de 5,9 x 5,4cm no ⅓ médio e inferior em rim direito. RNM identificou lesão sólida arredondada de 4,4cm em terço médio e inferior do rim direito com insinuação no hilo renal e nefrometria 10X. O paciente foi colocado em posição de flanco modificado. Quatro portais transperitoneais foram utilizados. Controle hilar foi obtido e realizado uma microdissecção cautelosa de todos os ramos da arteria renal, identificando os ramos menores que nutriam o tumor. Clipagem seletiva dos referidos vasos foi realizada, com microdissecção cuidadosa do hilo renal. Posteriormente realizada a enucleação do tumor, sem isquemia quente. A síntese foi realizada em 2 planos de caprofil 3-0 em sutura contínua. Um dreno de sucção foi deixado. Resultados: O tempo total de cirurgia foi de 220 minutos e a perda sanguínea intraoperatória foi de 200ml. Não houve complicações intraoperatórias. Alta e retirada do dreno após 2 dias. Após 14 dias do pós-operatório, paciente queixou-se de disúria e hematúria, que melhorou com tratamento conservador. Anatomopatológico: carcinoma de células renais T1B, com margens negativas. Conclusões: A nefrectomia parcial laparoscópica zero-isquemia com microdissecção do hilo renal é segura e factível. Tumores renais hilares complexos com nefrometria desfavorável podem apresentar benefício com a utilização dessa técnica. A microdissecção cuidadosa do hilo renal e a clipagem seletiva dos vasos permitem a sua execução.

Palavras Chave ( separado por ; )

carcinoma de células renais; nefrectomia parcial convencional

Área

Uro-oncologia

Instituições

Faculdade de Ciências Médicas da Paraíba - Paraiba - Brasil

Autores

Paulo Henrique de Holanda Ribas, Matheus Costa Souto, Igor Oliveira Melo, Victor Lima Lacerda, Gabriella Bento de Morais, Arthur Henrique da Silva Dutra, Lucas Fernando Bezerra Souza, Anna Mirella de Holanda Ribas, Tatianna Karla de Holanda Ribas, Rafael Batista Rebouças