Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ILEOCISTOPLASTIA VIDEOLAPAROSCOPICA COMPLETAMENTE INTRACORPOREA, EM PACIENTE SUBMETIDA A MITROFANOFF PREVIA.

Resumo

Introdução: A bexiga neurogênica é uma condição que está normalmente associada a patologias severas, como a síndrome de Arnold Chiari, mielomeningocele, espinha bífida, entre outras. Esta enfermidade cursa com diminuição da capacidade vesical e/ou diminuição da complacência. Quando o tratamento clínico não obtém êxito, faz-se necessário o tratamento cirúrgico. A ampliação vesical com íleo costuma ser a opção mais utilizada para melhora da função vesical. O conduto cateterizável com apêndice cecal pode ser adicionado naqueles pacientes com dificuldade de manipulação uretral, geralmente realizado no mesmo tempo operatório.
Objetivos: Este trabalho tem como objetivo relatar a técnica de Ileocistoplastia videolaparoscópica, em paciente submetida previamente à Mitrofanoff, após piora da função vesical.
Métodos: Paciente, 43 anos, sexo feminino, portadora de bexiga neurogênica, submetida Mitrofanoff há 2 anos. Evoluiu com piora da capacidade vesical e incontinência pelo conduto após 2h30min. Devido a piora na qualidade de vida, foi proposta uma Ileocistoplastia videolaparoscópica. Paciente foi colocada em posição de Trendelemburg, a posteriori foi realizada incisão umbilical de 10mm e confecção de pneumoperitônio fechado, seguido de inserção de mais três trocartes de 5mm sob visão direta. Foi realizada então, secção e exclusão do trânsito de um segmento de aproximadamente 20cm do Íleo. Seguiu-se com a reconstrução do trânsito com grampeador linear. A placa ileal foi confeccionada de maneira intracorpórea e, após abertura longitudinal da bexiga, implantada com sutura contínua de Vloc 3.0. Foi deixado dreno de sucção na pelve.
Resultados: O tempo operatório foi de 180 minutos, com perda sanguínea estimada de 100 ml. Não houve complicações imediatas ou tardias. Paciente teve alta no 2° dia pós-operatório e retornou após 15 dias, apresentando cistografia com boa capacidade vesical e sem vazamentos. Foi retirada a sonda uretral e iniciado o cateterismo intermitente pelo conduto, com continência de até 4h, sem apresentar perdas urinárias.
Conclusões: A ileocistoplastia videolaparoscópica completamente intracorpórea mostrou-se factível e segura. Nos pacientes em que há formação de conduto prévio, pode-se haver maior dificuldade para sua realização, fato que pode ser solucionado com a dissecção extensa da bexiga contralateral e identificação do conduto.

Palavras Chave ( separado por ; )

Ileocistoplastia; Videolaparoscopia; Mitrofanoff.

Área

Uroneurologia / Disfunção Miccionais / Urodinâmica

Instituições

Centro Universitário de João Pessoa (Unipê) - Paraiba - Brasil

Autores

LUCAS FERNANDO BEZERRA SOUSA, MATHEUS COSTA SOUTO, Victor De Lima Lacerda, Igor Oliveira Melo, Paulo Henrique Holanda Ribas, Arthur Henrique Silva Dutra, Rafael Batista Rebouças, Gabriella Bento Moraes