Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

PRESERVAÇÃO DO APARELHO RENAL FLEXÍVEL : TIPS AND TRICKS

Resumo

Introdução: Com a invenção do aparelho renal flexível em 1993, Grasso e Bagley e seu aperfeiçoamento com aparelhos de melhor imagem e resolução associado e calibres mais finos e melhores deflexões, tornaram a cirurgia renal flexível a mais utilizada para tratamento de cálculos renais e ureteral alto de modo geral. Primeiramente por ser uma cirurgia minimamente invasiva, mínimas complicações, alta precoce e com altas taxas de stone free, principalmente comparada com a litotripsia extracorpórea (leoc), a qual é o procedimento menos invasivo. No entanto, agregado a isso nós deparamos com um aparelho de alto custo, frágil, e que se não manuseado e cuidado de forma adequada, torna inviável financeiramente o procedimento. Objetivos: Apresentarmos algumas dicas e orientações de como manusear e cuidar do aparelho flexível para que ele tenha uma alta durabilidade. Métodos: Utilizamos um protocolo em nosso serviço para utilização do aparelho renal flexível, a qual aumentou muito a durabilidade do aparelho. Resultados: Utilizamos em nosso serviço esterilização em imersão, mesa grande onde o aparelho fica totalmente retificado sem risco de acidentes, com base apoiada; sempre utilizamos bainha ureteral para dar proteção para o aparelho; subida do aparelho pelo fio guia ate rim ;inspecionar o rim do cálice superior para inferior, usando na maioria das vezes, a deflexão passiva ; gravar local das pedras na inspeção evitando a procura; usar mínima deflexão; realizar a mudança do cálculo do cálice inferior para superior para fragmentação; não usar sonda extratora com ponta; usar sempre fibra de laser com luz guia (bean) aceso; passar sempre a fibra com aparelho retificado e laser desativado; deixar o pedal do laser sempre no mesmo pé o do raio-x no outro para não confundir; ao retirar os cálculos tomar cuidado para não bater a ponta do aparelho; bainha sempre abaixo da JUP para não atrapalhar a deflexão e danificá-la; retirar a bainha sempre sob visualização direta do flexível ; não exceder a pressão de irrigação maior que 40 cmH2O; fazer teste de estanquiedade ao terminar a cirurgia; lavar e secar bem canal de trabalho e aparelho com baixa pressão; não colocar aparelho úmido na sterrad. Conclusão: O uso correto do aparelho e cuidados de esterilização, armazenamento e utilização aumento a durabilidade em nosso serviço para mais de 150 casos com uso do flex-2, muito alem do relato de nadiler, 2004 com dur-8 com 34 usos e Monga, 2006 com 17 usos.

Palavras Chave ( separado por ; )

flexível; deflexão; bainha;

Área

Litíase / Endourologia

Instituições

Universidade de Ribeirão Preto - Sao Paulo - Brasil

Autores

Marcelo Denilson Baptistussi, Gabriel Salim Casseb, Haylton Jorge Suaid, Fabiano Parigi, Minoru Morihisa, Murilo Ferreira Andrade, Felipe Barufaldi, Matheus Soares Vital, João Antonio Paluan, Ysmael Medina